quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Deus, Jesus cristo, guerra no céu e Diabo

Sim, uma confusão infernal até para explicar. Vamos lá pela vertente criacionista da forma mais simples possível. Dentro da sociedade cósmica que sempre existiu, todos os caminhos evolucionários eram guiados e supervisionados por Guardiões. Doze seres da casta mais elevada desta sociedade cósmica criam juntos um caminho novo, sem guias ou supervisão. Um universo completamente novo é criado para ser este caminho, uma liberdade em seu maior grau de expressão. Duas raças básicas são criadas para trilhar tal caminho, representando o lado luz o ser humano é criado, representando as trevas surgem os reptilianos. Uma máxima mental é inserida na raça humana, "sempre buscar a paz", no lado reptiliano, "tudo que existir é teu para explorar como bem entender". Tudo criado, onze destes doze criadores se retiram e um fica ancorando em si mesmo a eternidade deste novo caminho. Por tudo que se viveu entre homens e répteis, criou-se o mito na terra da luta entre homens e Diabo, e Deus inquestionável acima de todas as coisas, criador de tudo, o que não deixa de ser verdade. Contudo, a criação deste caminho novo, desligado totalmente da sociedade cósmica não agradou a todos, pois os doze não pediram permissão para ninguém para tal criação. Assim, um descontente com o novo universo e seus rumos, também da casta mais alta, sem aviso algum, à frente dos seus simpatizantes, interfere neste novo universo aprisionando toda a criação. Cria ele o carma e os supervisores do mesmo. Tal interventor é chamado de Arcanjo Miguel. Em torno disso, cria-se na terra o mito da guerra no céu, onde o Diabo (reptiliano) é arremessado na terra e convive com os humanos, atormentando-os. Não de imediato, mas o um dos doze, que custodiava sua criação em si mesmo, toma uma atitude inédita na história da sociedade Cósmica, redimensiona-se a nível da sua criação e anda entre eles. Sua atitude foi tão inimaginável, que nem mesmo os supervisores do Arcanjo Miguel o puderam reconhecer. Tal redimensionamento foi chamado de Cristo, ou Jesus Cristo, Jesus era o homem, Cristo foi aquele que se redimensionou para caber no arcabouço humano. Depois que voltou a si mesmo busca acordo com a sociedade cósmica para que a raça prossiga dentro dos moldes originais. Assim, muito distante da questão homem, diabo (reptiliano) está este sonho de liberdade dos doze criadores, ameaçado com a interferência de Miguel. Até o presente momento tanto humanos, quanto reptilianos permanecem com suas máximas alienados da realidade maior que os contém. Em pura demência proliferam seitas e religiões, cada uma em busca de abocanhar uma cota de poder frente ao cego humano.

Lúcifer, o projetista

Niom se manifestava através de um universo infinito, com bilhões de dimensões imateriais, onde o elemento de criação era o mais sutil de...