sábado, 4 de fevereiro de 2017

BEM ANTES DE ME AMAR


Não permita que a luz se apague regada por mazelas a te atormentar, apenas recomeça que findou a noite e é hora de acordar. Cante em sua alma tua maestria fina, aquela bela canção ainda por terminar. Imploro que não me diga que em ti morreu a poesia, que como mármore em túmulo vives fria. Serei teu magma, tua chama, lá no começo, bem antes de me amar.

O diário do pestilento

Quando o mundo achava que já havia visto de tudo, eis que lá nos confundo do Judas nasce com o cordão umbilical enrolado no pescoço, o no...