quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Essa tal felicidade

 


Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que se esforça a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.
Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que se esforça a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que esforça-se a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=283965 © Luso-Poemas
Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que esforça-se a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=283965 © Luso-Poemas

Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que se esforça a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.


Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que se esforça a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.

Sendo a felicidade um estado natural do espírito, toda a busca humana seria por aflorar o mesmo em meio à realidade material. Sendo a visão do espírito a unicidade, não se pode conceber a felicidade como uma busca pessoal a deleite dos sentidos humanos. Assim a comando do ego o ser humano na terra vivencia a dor como redirecionamento. Toda busca com foco na própria alma aproxima o ser do seu estado natural de felicidade, que é uma comunhão cósmica. Este sentir tem seu grau de intensidade aferido pela constância de foco e descentralização do ego tão arraigado a si mesmo e a materialidade. Torna-se assim o ser humano tão contraditório, por ser a nave onde navega a alma, que se esforça a compreender a si mesma em nível espiritual e terrestre.

Lúcifer, o projetista

Niom se manifestava através de um universo infinito, com bilhões de dimensões imateriais, onde o elemento de criação era o mais sutil de...