quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Lá fora a luz dorme de braços abertos ao infinito

Lá fora a luz dorme de braços abertos ao infinito
Lentamente despedindo-se dos vales
Enquanto sonha além
A vida vai e vem

Pingos De Luz