quinta-feira, 24 de abril de 2014

Um fio cada vez mais fino



Em seu ultimo suspiro


Em seu ultimo momento aqui na terra, enquanto segurava minha mão e contemplava meus olhos minha mãe disse-me: Estou com medo desta “jornada”. Disse-lhe: A vida inteira a senhora se dedicou a aliviar o sofrimento das pessoas, indiferente a um mundo que a julgava e condenava. Lembro-me da tua firmeza ao não desistir daqueles que todos julgavam irremediavelmente perdidos, quase todos tiveram suas vidas reestruturadas a partir dos impulsos que destes. Creia que receberá neste momento a mesma ajuda que destes. Sorrindo ela ficou sorrindo ela partiu. No enterro (formalidade social) enquanto meus irmãos se descabelavam permaneci calmo e sereno. Depois de sua jornada encontrei-me ainda várias vezes com ela em diversas situações devido a minha facilidade de desdobramento (e olha que ela nunca acreditou que eu podia ver “espíritos”).
Hoje passados doze meses ainda nos encontramos, porém à medida que ela passa pelas outras “mortes”, o “fio” que nos une está cada vez mais fino e longo. Tenho saudades, mas sei que estás sendo amparada.
  O amor é um elo fortíssimo, que quebra barreiras e "barreiras".
Devo acrescentar que tive uma excelente ajudante no cuidado com a minha mãe, minha neta "Lais" de três anos. Acompanhava-me em tudo, quando minha mãe nos chamava ela saia correndo na frente dizendo: Corre vô, vem comigo, a "Bisa tá chamando". No momento final minha mãe segurava uma de minhas mãos e ela a outra. Naquele momento cuidar da minha mãe e da minha neta ao mesmo tempo não tinha peso algum para mim. Foi uma graça Divina aqueles momentos de puro amor, inesquecíveis, oportunidades de "ouro". Hoje retomei as minhas atividades profissionais e minha neta está na "escolinha".
 Acredito que naquele momento nossas três almas entoaram em coro uma linda "nota" dentro da sinfonia cósmica do amor incondicional.
Existe uma espécie de química oculta trabalhando em nossos corações quando a energia do amor nos toca (não o desejo), a vivência ao lado da minha mãe e neta redimensionou o “sentir” da vida em mim, não mais veria “o mundo com os olhos de antes”.  A simplicidade do “nascer do dia era e é o suficiente para preencher todo meu ser de alegria, a felicidade passou a ser algo muito “simples”. Juntos nós (eu, minha mãe e minha neta) enfrentamos várias situações difíceis (como no primeiro dia que tivemos que dar banho nela sozinhos), mas houve uma doação total para que tudo ocorresse da melhor forma possível. Nestes momentos a única coisa que realmente conta é o amor e a presença. Pagar uma enfermeira para estar ao lado dela não teria suprido “as reais necessidades de sua alma” (isso fiquei sabendo em nossas conversas posteriores a seu desencarne).
Esta é a forma que encontrei de homenagear todas as mães que de fato são a luz deste mundo e o sal da terra.

O todo poderoso Google não responde a reclamações

Roubaram minha imagem na internet do google meu negócio. Assim, quando uma pessoa faz pesquisa no google com algum problema hidráulico,...