quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Retalhos de esperança

Um monge eremita

Trabalho da roça

Amandu, um monge eremita que é um grande amigo meu, de longa data, me lembrava sempre que na terra, somos "todos prisioneiros". Não me vou estender muito sobre o assunto, deixo para que reflitam. Apenas vou dizer o que uma amiga (Monja) me disse semana passada, "às vezes chegam aqui àqueles homens muito fortes, porém dominados por coisas tão simples, que não conseguem soltar".

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... ype=&mode=0#ixzz2ch7W8mdJ
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

Continuando, estes homens fortes, muitos escravos da própria soberba, para eles eram dadas tarefas bem simples, como lavar banheiros comunitários, ou o árduo trabalho da "roça". A maioria não entendia o propósito, mas aceitavam as tarefas.

Trechos do fórum do luso poemas- coluna iluminar

O todo poderoso Google não responde a reclamações

Roubaram minha imagem na internet do google meu negócio. Assim, quando uma pessoa faz pesquisa no google com algum problema hidráulico,...