terça-feira, 2 de julho de 2013

Enfrentando medos

Trechos do livro O resgate de uma vida perdida

Medos que não os sabia ter

 



Foi dito que “mexi os pauzinhos” para o ser enfrentar seus próprios medos, que a mesma não sabia que tinha, uma vez que vivia completamente iludida, acreditando que a sua cela era o mundo e de fato a mesma a amava. Então pelo simples fato de partilhar a ela a minha verdade e de fazer tudo que estava a meu alcance para isso, era “mexer os pauzinhos”, há de se deixar claro que o ser havia dito sim para que destruísse a sua cela e dito sim para alcançar tudo que eu lhe falava, sobre uma vida livre e simples, uma vida iluminada já que a mesma, vivia nas trevas, sem conseguir enxergar o que de fato era a vida “ali na cela”.
Durante toda a minha vida desde a infância, muito antes de ao menos imaginar que um dia estaria diante um ser, que era em tudo, o oposto de mim, já vivia aprendizados onde era obrigado a enfrentar meus medos e foram muitos, mas todos conhecidos.


Medos que não os sabia ter vieram a ser enfrentados estando ao lado deste ser.
O primeiro medo surgiu quando via ondas gigantes cobrindo terras habitadas e vindo em minha direção, fugia desesperadamente procurando salvar minha vida em lugares altos, outras vezes não dava tempo de correr e perecia afogado. Isso criou um trauma em mim que passei a temer o mar e as vezes que fui em praia, foi praticamente contra a minha vontade.
Vivi com isso até o momento em que me disseram que deveria enxergar este fato por “dentro e não por fora”, então decidi enfrentar este medo, quando tive a oportunidade e a onde veio em minha direção, corri na direção dela, quando a mesma me envolveu, percebi que conseguia sobreviver submerso, a onda era ilusão, algo com a finalidade de me causar temor, ao abraçá-la, o medo desapareceu e aquela situação vivida em dimensão desconhecida, nunca mais retornou.
O segundo medo foi relativo aos leões, estavam sempre a me perseguir e embora me visse “com eles”, insanamente os temia, sabia que os mesmos, estavam na base da criação deste universo e queria enfrentar aquele medo, mas este demorou mais que o primeiro para ser resolvido. Em certa ocasião me falaram que eu estava a fugir da minha própria força, que resolveria aquela situação no momento que a aceitasse, mas a mesma levou mais uns cinco anos para se dissolver.
Meu medo em relação à perseguição dos leões se resolveu da seguinte forma, me vi em uma dimensão de pura selva e eles, os leões a comandavam, fugindo deles, me vi encurralado em um túnel, atrás de mim vinha os leões e na minha frente o desconhecido, um dos leões me disse que se ficasse ali entrincheirado morreria assim como se voltasse para trás, eu só tinha uma alternativa seguir em frente e chegar a “realidade cósmica”, que é a verdadeira “selva”, sinceramente que não faço ideia da minha escolha, que diante do desespero que me encontrava, estava disposto a lutar com eles, coisa que nunca tive coragem de fazer. Dizem que pessoas desesperadas tomam atitudes neste neste mesmo nível, seja qual foi a atitude que tomei para resolver aquela situação que se apresentou, parece que não influenciou muito no resultado final, pois não mais os vi, me deixaram em paz, não mais me perseguem.

Leia também o resgate de uma vida esquecida
 http://www.sendoluzmaior.com/2013/06/o-resgate-de-uma-vida.html

O todo poderoso Google não responde a reclamações

Roubaram minha imagem na internet do google meu negócio. Assim, quando uma pessoa faz pesquisa no google com algum problema hidráulico,...