quinta-feira, 27 de junho de 2013

O resgate de uma alma perdida- parte 4

Viver esta simultaneidade, me levou a um estado de "tensão tal", que para "relaxar" e não enlouquecer, simplesmente saia para caminhar, por dias, houve momentos de dormir em matas, sem nenhum abrigo, ou proteção, ou mesmo sem qualquer "tostão nos bolsos", foi uma fase tipo andarilho, peregrino, onde buscava na solidão, em contato com a natureza, uma forma de me localizar dentro de tudo que estava percebendo e vivendo.

 O grau de complexidade desta tarefa libertadora

 Graça recebida



Deixo claro que sabia tratar-se de um resgate, ou seja retirar uma vida de uma condição de aprisionamento espiritual e lhe dar um tipo de liberdade que a mesma nunca chegou a ter, em toda a sua trajetória de vivências na realidade terra, este ser havia participado das guerras de Órion, como tantas outras almas, inclusive a minha, mas o que aconteceu a este ser para se encontrar neste tipo de prisão e receber esta ajuda, que na verdade a mesma nunca acreditou tratar-se de uma "graça recebida", o porquê, só mesmo a vida pode responder.
Na verdade a minha abertura para o "desenrolar deste novelo", se deve ao fato de ter sido um fortíssimo desejo da minha alma, de aprender a amar e talvez nunca tenha dito, mas é esse o momento de o dizer que, o amor que ainda é a minha meta é aquele que o Cristo trouxe para a humanidade, como uma ideia, um objetivo a ser alcançado, muito acreditam ser uma meta evolutiva, outros um dos caminhos a ser trilhado por esta humanidade e ainda algo que esta em construção neste universo, se o ultimo é real, não foi por acaso que tenho o dom do"construtor".
Como se diz "na altura do campeonato" já sabia que o meu próprio aprendizado, a minha vida, estava estreitamente e intimamente ligada aquele ser e à sua condição, foi quando percebi, uma peça fundamental "deste quebra-cabeças", deste "jogo", que foi a religiosidade, como me sentia bastante "livre" com relação a isto, cometi o erro de subestimar os fatos e os seus desdobramentos.
Neste momento para usar expressões mais libertadoras, toda vez que me referir à prisioneira, direi apenas, " o ser", pois, me parece mais apropriado uma vez que, uma alma não tem sexo, embora a protagonista da nossa história, seja um ser feminino.
Acredito caber aqui, uma explicação para deixar claríssimo, que estamos a relatar uma história e os seus vários desdobramentos interdimensionais, pois tudo foi percebido e vivido simultaneamente em várias dimensões, sem que se tivesse sequer a noção da temporalidade ou localização, estávamos juntos no plano físico e em várias dimensões e vidas alternativas ao mesmo tempo, elevando o grau de complexidade desta tarefa libertadora, a um nível inimaginável da vida.
Viver esta simultaneidade, me levou a um estado de "tensão tal", que para "relaxar" e não enlouquecer, simplesmente saia para caminhar, por dias, houve momentos de dormir em matas, sem nenhum abrigo, ou proteção, ou mesmo sem qualquer "tostão nos bolsos", foi uma fase tipo andarilho, peregrino, onde buscava na solidão, em contato com a natureza, uma forma de me localizar dentro de tudo que estava percebendo e vivendo. Este começo, por assim dizer, foi bastante traumático e doído, não só para mim, como para o ser em questão, embora a bem da verdade, fiz um esforço sobre humano, para que o mesmo não percebesse as minhas dificuldades, na verdade o protegi de todas as formas que pude, colocando em muitas situações a minha vida e a minha sanidade em risco, tentei poupá-lo de tudo, para que o mesmo, pudesse empregar todas as suas energias, em sua própria libertação, de um ponto de vista mais apurado, corri um risco enorme com esta atitude protetora; porém, foi assim do início ao fim, se é que esta história tem um.
Na próxima parte entrarei de fato na questão da peça fundamental, "a religiosidade", já que considerei importante dar "esta visão" ao leitor.

Ilustrações - Giovanna 8 anos

 http://www.sendoluzmaior.com/2013/06/o-resgate-de-uma-vida.html
http://www.sendoluzmaior.com/2013/06/o-resgate-de-uma-vida-esquecida-parte-2.html
http://www.sendoluzmaior.com/2013/06/o-resgate-de-uma-vida-esquecida-parte-3.html

O todo poderoso Google não responde a reclamações

Roubaram minha imagem na internet do google meu negócio. Assim, quando uma pessoa faz pesquisa no google com algum problema hidráulico,...