sábado, 25 de maio de 2013

Qualquer coisa morta

 As labaredas das emoções já não creptam

 

 Acabou a sintonia

 Buscando retirar o pó

 


Os sonhos acabaram
Desvaneceram dentro de mim
O silêncio  se tornou  companheira fiel
Já não há mais encanto
As labaredas das emoções já não crepitam
Não sinto mais o cheiro da fumaça
O vento dissipou seu perfume
Não ouço mais os seus passos
Não escuto mais a sua voz
Não vejo mais o seu sorriso
Não respiro mais o seu mundo
Acabou a sintonia
Apagou a chama, o dia escureceu
O amor sobreviveu por ele mesmo
Buscando retirar o pó
E mais uma vez brilhar
Num espaço qualquer deste vazio

Leia também o resgate de uma vida esquecida
 http://www.sendoluzmaior.com/2013/06/o-resgate-de-uma-vida.html





Lúcifer, o projetista

Niom se manifestava através de um universo infinito, com bilhões de dimensões imateriais, onde o elemento de criação era o mais sutil de...