segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Núcleo de Luz

Plena luz, dentro de mim mesmo

Desafio para o cético fazer um mergulho em si mesmo


Certa ocasião descrevi em um texto, uma experiência consciente que vivi, fruto de um simples exercício regular de relaxamento, onde também mergulhei os pés em água bem abaixo da temperatura corporal, a narrativa foi de tudo que pude observar e fui detalhando com bastante simplicidade .
Não busco um linguagem complexa, pois os textos são para serem os mais claros possíveis, tentando passar com exatidão o que ocorre nestes momentos.
Foi uma viajem insólita, mas o são todos os mergulhos em nossos núcleos de luz, que nos apresentam cenas, fatos, que não tem a lógica, com a qual a nossa mente esta acostumada a lidar, observo que não há repetições de eventos, são sempre diferentes.
Na ocasião em questão, enquanto inspirava profundamente, como em um relâmpago a noite que se faz um clarão, uma cena de mim mergulhando num abismo profundo surgiu repentinamente.
A medida que ia caindo vários animais iam se projetando para fora de mim, e evaporavam, até que me vi em plena luz, dentro de mim mesmo, momento este, que da mesma forma que surgiu esvaeceu.
Achei interessante relatar pois recebi um comentário onde a pessoa ironizou, passaria sem destaque, se no outro dia ela não tivesse escrito outro agradecendo, pois resolveu relaxar e pensando na narrativa do texto mergulhou em si mesmo, tendo experimentado uma realidade extra física.
Quando mergulhamos em nós mesmo acessamos realidades bem diferentes das que vivemos no mundo físico, o que traz um desconcerto total para nossa mente racional. Não costumo fazer análises sobre estes acontecimentos, pois na maioria das vezes, estamos em treinamento e não a como prever o resultado, pois são etapas no despertar da consciência para seus núcleos de luz.

Certa ocasião descrevi em um texto, uma experiência consciente que vivi, fruto de um simples exercício regular de relaxamento, onde também mergulhei os pés em água bem abaixo da temperatura corporal, a narrativa foi de tudo que pude observar e fui detalhando com bastante simplicidade .  Não busco um linguagem complexa, pois os textos são para serem os mais claros possíveis, tentando passar com exatidão o que ocorre nestes momentos.Muitos acreditam que sou uma pessoa que divulga uma crença, pois eu lanço o desafio para o cético fazer um mergulho em si mesmo e lá de dentro dele contestar a sua integralidade com o Cosmos.
Eu não sou crente ou religioso, sou um pesquisador da realidade integral do ser humano, não acredito em nada, eu busco e investigo e realizo as experiências comigo mesmo.
Tudo a respeito do que escrevo é fruto de um trabalho em busca da minha própria realidade, poderia dizer, da minha verdade, mas tudo é mutável de acordo, com o ponto momento onde o ser se encontra dentro dele mesmo.

Deus, Jesus cristo, guerra no céu e Diabo

Sim, uma confusão infernal até para explicar. Vamos lá pela vertente criacionista da forma mais simples possível. Dentro da sociedade có...