quinta-feira, 29 de março de 2018

Lúcifer, o projetista

Niom se manifestava através de um universo infinito, com bilhões de dimensões imateriais, onde o elemento de criação era o mais sutil de tudo que se conhecia.
Seres de altíssima evolução buscavam em Niom a última fonte evolucionária. Neste contexto acontece o encontro de doze entidades afins. Tais entidades se manifestavam através de universos nos quais eram a consciência predominante. Talvez vocês poderiam dimensionar tais entidades se eu dissesse que toda a via láctea não passaria de uma célula delas. Assim, neste nível de grandeza os doze resolvem criar e custodiar um universo completamente novo. Ele fugiria de todos os padrões criativos e leis já conhecidas, absolutamente, tudo nele seria novíssimo. Assim o universo tal qual o conhecemos é criado.
Os doze, ao criarem neles mesmos este novo mundo, partiram de um princípio básico, a liberdade de escolher o próprio caminho, ou seja o livre arbítrio. Com o universo criado a partir da fusão deles, era hora de deixar tal universo evoluir pela eternidade e continuarem a focar suas evoluções próprias em Niom.
Para tal, seres de evolução abaixo deles, que precisavam desta envergadura de aprendizado foram chamados e passaram a reger todas a leis de desenvolvimento evolutivo e criação de mundos dentro de mundos.
Então, aqui surge Lúcifer que tem carta branca para exercer o seu papel de co-criador Assim, ele que fazia todos os projetos e passa a ser considerado o Deus Criador em muitos planetas deste universo novo porque, na consciência desses seres, Lúcifer era o criador de suas chamas de vida. Na consciência destes seres ele passa a ser o Deus supremo e todo poderoso. Na medida em que os planetas iam se desenvolvendo passou a criar nas mentes dos seres uma idéia da imagem do seu criador. Inúmeras crenças, seitas e religiões se formaram em torno disso, cada uma fortalecendo mentalmente uma imagem mental do criador, no caso Lúcifer.
O projeto de Lúcifer consistia de criar duas raças básicas para o desenvolvimento deste novo universo de livre escolha, os humanos e os reptilianos. Dentro do jogo de integração de polaridades, os humanos representariam o lado luz e os reptilianos o lado sombrio, trevas. Nos humanos é inserida a máxima interna, secreta, profunda e inconsciente, "sempre buscar a paz e harmonia". A máxima reptiliana dizia: "Tudo que encontrar pelo cosmos, tudo e todo tipo de vida é teu por direito para explorar como queira, é seu direito divino". Ainda, segundo o projeto de Lúcifer, tanto humanos quanto reptilianos teriam em sua concepção biológica sessenta por cento de negatividade. Um projeto hiper audacioso, pois uma evolução com tanta negatividade, jamais havia sido tentado antes, no máximo quinze por cento. Lúcifer apostava que com isso a evolução não duraria uma eternidade. Esse projeto evolutivo foi o maior fiasco nos registros cósmicos, um desastre total jamais visto anteriormente. Um verdadeiro holocausto ao longo de milhões de anos. Uma guerra muito grave, quando ambas as raças possuíam tecnologias avançadas e percorriam com suas naves grandes distâncias galácticas, implodiu na constelação de Órion ceifando bilhões de vidas com a explosão de inúmeros planetas. Sóis, estrelas começaram a explodir, universos inteiros pulverizados em segundos, quando a sétima estrela explodiu, o Arcanjo Miguel e outros de mesma envergadura intervém neste novo universo e colocam ordem na casa. Dentro deste contexto de intervenção, ele elabora um projeto de restauração, que colocasse em equilíbrio tamanha falta de respeito pela vida. Assim todos os violadores das três leis básicas, Não matar, Amar o próximo como a ti mesmo, respeitar o livre arbítrio do outro ser foram aprisionados em uma infinita teia, tipo um circulo onde dele nem a morte libertaria. Todos foram intimados a assumir a responsabilidade de seus feitos, inclusive Lúcifer, o projetista.
Trinta e sete mundos de exílio temporário, incluindo a terra foram criados para a rondas encantatórias dos violadores das leis maiores da vida. Tipo assim, se cria um pit Bull, mas o estrago que ele faz, tanto criatura quanto criador pagam juntos a conta.

segunda-feira, 26 de março de 2018

Urinoterapia

A PRÁTICA DA U-R-I-N-O-T-E-R-A-P-I-A NO VENTRE DA MÃE
FUNDAMENTOS DA URINOTERAPIA
Urina (Xixi) é a caridade do Universo é a “ÁGUA DA VIDA”. Ao tomar sua própria urina tem-se encontro maravilhoso consigo mesmo em termo de cura saudável pra toda vida.
MÉTODOS DA URINITERAPIA
Urinoterapia é uma medicina natural, universal, e revolucionária.
   1- É segura, sem nenhum risco e de efeito rápido,
   2- Aplicável para todas as idades, desde recém-nascidos, mulheres grávidas, até anciãos. Para a cura de doenças é quase “onipotente”. Desde reumatismo e doenças crônicas até câncer, diabete e outras doenças “incuráveis”.
   3- Muito econômica, até que se morra, todo o mundo tem seu próprio recurso, inesgotável.
   4- Muito boa. Com ela, elimina-se o cansaço e a impotência sexual.
   5- Excelente como cosmético humano. Com ela se rejuvenesce todos os órgãos, tirando as rugas, manchas e espinhas do rosto e da pele.
DEMÉRITO DA URINOTERAPIA
Há um único demérito nesta terapia: ao começar custa um pouco tragá-la, porque estamos doentes e a urina de certa maneira, cheira mal. Isso porque não ingerimos de oito (08) a (10) copos de água por dia. Sem dúvida, a urina não tem o mau sabor, nem mesmo cheiro; É um sabor humano, como se estivesse tomando uma água morna, que acaba de sair do fogo e você tomou de um dia para o outro. (Este é o sabor da própria pessoa).
Quando você ingere uma quantidade de água por dia o que significa a média, o xixi sai da cor da água, morninho e sem cheiro, então comece a beber todos os dias a 1ª urina quando acordar, estando em jejum, durante umas duas (02) horas, depois de bebê-la. Depois comece o café da manhã com frutas e outros sabores naturais, inclusive o leite.
CONHECIMENTOS BÁSICOS DA URINOTERAPIA – Urina, uma excelente panaceia para todos os males.
1. A URINA (XIXI) É ALGO SUJO?
Não,... Nada disso. É um produto por efeitos do nosso sangue e do próprio corpo, material mais próximo a nosso corpo. Por esta razão, não provoca nenhuma rejeição como “alergia”, ainda que tenha dejetos ou algumas infecções, mesmo porque é um ser vivo.
DEJETOS: Os “dejetos” são fontes ricas de “anticorpos”, com os quais se podem combater muito bem, suas próprias doenças. Os dejetos da urina não são tóxicos, nem tão pouco venenosos, por isso é a urina a “ÁGUA DA VIDA” como relata a Bíblia no Provérbio, 5. Versículos, 15 a 18. (Pura metáfora Bíblica escrita por Salomão). 15- Bebe a água da tua cisterna e das correntes do teu poço.
16- Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e pelas ruas os ribeiros de águas? 17- Sejam para ti só, e não para os estranhos contigo. 18- Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Página Nº 616.
INFECÇÃO: No caso das infecções renais, de bexiga ou do órgão genital da mulher (vagina), pode ser que a urina tenha alguns agentes infecciosos, antes, porém, esta quantidade, seja muito pequena. Ao contrário, a pouca quantidade de agente infeccioso age como AUTO- VACINA e combate muito bem à infecção que a pessoa padece.
O FETO CRESCE DENTRO DA BARRIGA DA MÃE, NUM MAR DE URINA CHEIOS DE ANTICORPOS E OUTROS EFEITOS DE PROPRIEDADES POSITIVAS.
Também consideramos ocaso do feto, o qual cresce dentro de uma bolsa do útero, chamada AMNION. Ela cresce tomando diariamente líquido amniótico, que é uma mistura da secreção amniótica e da urina do feto. Segundo os estudos, nos últimos meses o feto urina diariamente na barriga da mãe de 500 a 700 cc e toma (bebe) a mesma quantidade de sua própria urina mais líquido amniótico.
Este fato é suficiente para aumentar que a urina não é uma coisa suja, como alguns médicos relatam aos seus pacientes, nos Planos de Saúde e em seus Consultórios particulares, evitando muitas vezes que seus pacientes, sejam curados por um processo orgânico natural. Se DEUS prepara as condições mais sadias e favoráveis para que nasça uma nova vida, como seria possível pôr fetos num mar de urina? DEUS (UNIVERSO) sabia que a urina É a “ÁGUA DA VIDA”!
2. HISTÓRIA DA URINOTERAPIA
No mundo desde a última espécie animal criado por Deus, existia e existe até hoje a U-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a sempre presente na vida do ser humano sem distinção de Continente, Raça, Cultura e Civilizações, sempre contando com um forte respaldo das religiões, como: HINDUÍSMO, JADAÍSMO, CRISTIANISMO, BUDISMO, ENTRE OUTRAS. Era e é um tratamento curativo e popular. Na Nicarágua, América Central e toda América Latina, também existiram. Nós estamos tratando de recuperar essa preciosíssima tradição dos povos antigos e dos atuais.
3. CONHECIMENTO SOBRE A URINA
As pessoas que vivem num Planeta chamado terra, cada uma delas, urinam cerca de 1 a 1 ½ litro diário. A urina, como fonte de produto do sangue, tem um conteúdo quase igual ao soro deste. Por esta razão é muito claro e evidente boa, tanto como medicina quanto para alimento. Tem suficientes anticorpos para combater a própria doença. Os cientistas dizem que possui uma quantidade mais de mil substâncias que o corpo necessita. Uma destas substâncias é o INTERFERON, o qual foi descoberto pelo Instituto de Biologia de Hayashibara (Japão).
O INTERFERON é uma substância que ativa a produção das células que combatem as anomalias do corpo. É conhecido como anticancerígeno, sendo efetivo contra o HCV (Vírus hepático, que está presente em muitos casos de hepatite).
Segundo os investigadores do planeta, o uso do INTERFERON injetado, dez mil unidades, ocasiona muitos efeitos colaterais, ao contrário, seu uso por via oral, a uma dose de 100 – unidades é mais bem (melhor) utilizado pelo organismo, sem efeitos secundários.
Na produção diária de urina humana (1 a 1 ½ Litros), pelo geral, existe de 150 – 200 unidades de INTERFERON, ou seja, a quantidade melhor aproveitada pelo organismo para combater as doenças.
E mais, a urina possui vitaminas, minerais orgânicos e inorgânicos, proteínas, aminoácidos, hidrato de carbono e até hormônios sofisticados como Prostaglandina, Inmunoglobina, Endorfina, SPU-Humano, entre outras. Quando se está doente, o corpo não retém essas substâncias e saem com a urina, devido a seu mau metabolismo. Por esta razão, devemos retorná-las com anticorpos produzidos pela doença. Assim curamo-nos de nossos males, caso contrário, no futuro próximo, podemos ficar mal e morreremos por não aproveitas o bem que a vida nos oferece em torno da ÁGUA DA VIDA.
COMUNIDADES DE BASE URINOTERAPIA DE NICARÁGUA ATÉ AMÉRICA CENTRAL.
As experiências clínicas com U-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a.
Esta terapia, como uma parte da Medicina Natural, foi introduzida pelo Doutor Uryu. Num período de três anos, foram tratadas (4.000 mil) quatro mil pessoas com essa técnica. Como exemplo, temos o caso de uma senhora bastante idosa que depois de recuperar-se de uma doença, da qual padecia durante meio século e devido a este exemplo, possui agora de 100 pessoas tratando-se com a URINOTERAPIA, com bons resultados. Também o caso de um sacerdote que atende diariamente a mais de 60 pessoas com Medicina agradável numa zona marginalizada, onde não há médicos.
A Urinoterapia, cada vez mais e mais, está entendendo-se rapidamente desde Nicarágua a Centro América, inclusive no México e Panamá, não só por razões econômicas, mas pela efetividade clínica, sem nenhum risco.
4. COMO TOMAR E COMO USAR A URINOTERAPIA
U-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a te reanima. A urina (xixi) é um ser vivo.
1. Meio litro da primeira urina fresca da manhã em jejum, para manter a saúde perfeita ao tomar (beber). Antes de dormir, beber no máximo uns oito (08) a dez (10) copos de água. Se desejar, poderá colocar mel, mistura e bebe. Pode ser com suco de laranja ou limão. Se não desejar o primeiro exemplo, coloca uma colher das de chá com xixi a princípio no copo e mistura com qualquer suco ou vitamina e ingere durante uma semana, claro, na primeira urina da manhã.
À medida que as coisas forem tomando o sabor, vai aumentando a dose do xixi até chegar ao primeiro exemplo de meio litro da urina fresca da manhã, a passar a beber todos os dias.
2. Um litro diário para as doenças crônicas. Quanto mais se toma (bebe) mais se melhora o estado de saúde.
3. Mínimo de dois litros de urina fresca em jejum nos casos de câncer: É um método decisivo para curar um câncer. Devem-se tomar dois a cinco litros diários! O que se elimina de manhã até a noite, sempre tomando chá de ervas selecionado conforme a doença.
O JEJUM deve ser total. Seguindo o tratamento dentro de 1 a 6 semanas, o câncer será eliminado.
4. Uso estratégico de ENEMA DA URINA: Conhece-se amplamente a efetividade do ENEMA, sobretudo para baixar a febre de ventre, prisão de ventre, cólicas, dor e inflamação do abdômen, pernas e em todas as partes do corpo.
Obs.: Após o uso de acordo com vários exemplos de como beber o seu próprio xixi, os sintomas a pós beber o, apresenta um pouco de dor de cabeça e enjoou, como se estivesse com ressaca, mas não fique preocupado, continue tomando que estes sintomas passam à medida que estiver tomando. O importante é dar o primeiro passo para a sua cura de todos os males que está dentro do seu corpo, as toxinas industrializadas, vão sendo liberadas nas fezes, todas as evacuações até melhoras o funcionamento do seu organismo.
Em geral no ENEMA usa-se sal, sabão ou algumas plantas com boa quantidade de água morna. No lugar destes materiais, ocupa-se unicamente meio litro de urina, e o efeito acontecerá rapidamente, não só nos casos mencionados, mas sim em que todas as doenças agudas e crônicas, especialmente o câncer, diabete, artrite entre outras doenças “incuráveis”.
A urina tem de ser necessariamente do mesmo doente, entretanto pode-se ocupar de outras pessoas, já que a própria urina será tomada e essa poderá faltar.
Em casos graves de reações, podem-se tomar a cada dois dias; dependendo da melhora, pode-se passar a uma ou duas vezes por semana, até que o paciente sinta-se completamente bem, isto é, sem mais os sintomas da doença.
NÃO SE ESQUEÇA DO ENEMA! Quando enfrentar algo difícil, ele vai lhe ajudar como um SALVADOR!
5. VARIEDADES DA URINOTERAPIA
* Aplicada para problemas da pela,
* Banhos nos órgãos genitais (Vagina), útero, boca, nariz, ouvidos e olhos,
* Compressas com o próprio xixi para problemas da pele, tumores, artrites e etc.,
* Banhos para infecções generalizadas e alergia,
* Shampoos para infecções e abscessos da cabeça e a queda de cabelos,
* Massagem para artrites, câimbras, varizes e dores musculares,
* Gargarejos para problemas de garganta e amigdalite,
* Cataplasma de barro para os tumores, inflamações e febre reumática. OBS: O importante da Urinoterapia é tomá-la todos os dias para esperar os resultados desejados.
REAÇÕES COLATERAIS - Um processo difícil para a vitória final.
1. Na URINOTERAPIA não existe casos de complicações. Como em qualquer tratamento, por exemplo, farmacológico, cirúrgico, homeopatia, acupuntura e etc., podem ocorrer algumas reações. A URINOTERAPIA não é uma exceção.
Em processo difícil, doloroso, incômodo, porém positivo, necessário e vitorioso para recuperar-se de todos os males que se tem.
Na URINOTERAPIA não há nenhum caso de piora, até que se prove o contrário. Ainda que a princípio lhe pareça que se agrave, não é assim, mas se tratam de um processo de alimentação de todos os males, escondidos no profundo do corpo. Há que passar esta etapa, especialmente no caso das doenças crônicas, aceitando com paciência tudo o que venha aprofundando mais este tratamento, aplicando a compressa na parte dolorida, intensificando o banho nos pés, cataplasma para tumores, febres e inflamações, jejuando e tomando maior quantidade de sua “ÁGUA DA VIDA”.
Recorde-se que o ENEMA da urina, por último, será o SALVADOR da sua vida. No entanto, se não suportar, em último caso poderá tomar em doses mínimas os medicamentos que antes tomava, porém sempre tomando a URINOTERAPIA. A boa fé vai trazer a vitória final. As reações vão desaparecendo pouco a pouco, ou de repente. Antes, porém, não se assuste PARABÉNS!  Já que está muito perto de curar-se.
QUE TIPO DE REAÇÕES PODE HAVER?
Diarreia, sono profundo, insônia, prisão de ventre, alergia, coceira, abscesso, febre, dor de cabeça fraca, inflamações normais, dor de dente, câimbra, taquicardia, tonturas, secreção vaginal, intestinos, olhos... Sangue negro, vômitos, dor no pulmão, fígado e etc.
Tudo depende do estado de saúde, histórico da doença e a quantidade de urina que se toma.
ALGUNS CASOS DE REAÇÕES:
No caso de câncer, diabete, artrite muito avançada e, em geral, nas doenças crônicas, é melhor continuar apesar das reações que podem aparecer.
No período menstrual ou hemorragia vaginal, poder-se-ia tomar a urina das meninas para não suspender o tratamento. Em alguns casos, como de câncer, diabete, síndrome de nefroses, sífilis, gonorreia (Blenorragia) ou artrite muito avançada, a urina pode sair muito feia na cor, mas não se preocupe é normal no tratamento.
Nestes casos também, em lugar de suspender, pode tomar boa quantidade de urina dos meninos ou meninas, correspondente ao mesmo sexo. Assim nos curamos. A VIDA É LONGA, MAS VALE A PENA FAZER TODO ESFORÇO PARA QUE A DESFRUTEMOS. - O mais importante é o tratamento integral e melhorar o estilo de vida. Não dependemos só da URINOTERAPIA.
No processo da recuperação final, o mais importante é o tratamento integral. Melhorar a qualidade de vida, valendo-se e vez em quando dos cinco elementos da saúde: Refletindo sobre a vida passada, corrigindo a dieta e o modo de vida que leva diariamente, eliminando as coisas químicas, vícios, machismo, egoísmo, inveja, orgulho e acreditar no que está fazendo (A urino terapia), fazendo exercícios adequados e um esforço a mais para ajudar as pessoas. Ainda que tomemos a urina, se a vida é deficiente a preconceitos, adoecemos com mais facilidades.
Obs.: NÃO DEPENDA SÓ DA URINOTERAPIA, PROCURE TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL SEM REMÉDIOS. A URINA É UM COMPLEMENTO PARA ELIMINAR AS TOXINAS DO ORGANISMO, COLOCADOS PELA INDÚSTRIA QUÍMICA.
EXEMPLO DE DIETA – Sempre com plantas medicinais e urina
1. DIETA COMUM
- Não comer carne de qualquer tipo e nem açúcar,
- Come peixe e crustáceos em geral ou frango caipira, algumas vezes.
- Ingerir açúcar mascavo ou mel de abelha,
- Devemos saber que o frango de granja, como alimento não é aconselhado porque contém antibióticos, hormônios e outros produtos químicos,
- É proibido tudo o que contém açúcar como refrigerante, balas e etc. O açúcar pode ser substituído por mel de abelha ou açúcar mascavo no exemplo anterior.
- Usar sempre pouca quantidade de azeite, banha e sal. O consumo exagerado de sal pode aumentar a pressão arterial e trazer grandes problemas renais. Se o sabor da urina se apresentar muito salgado, deve-se diminuir a quantidade de sal,
- Não usar café,
- Não deve procurar jantar, evitar. Em geral recomendamos não tomar café pela manhã
- Ficar em jejum pela manhã para acontecer a cura mais rápido. No caso dos trabalhadores do campo é melhor comer de manhã e não jantar. Não tomar álcool. Pode usar suco natural de frutas,
- Um ou dois dias por semana, tomar somente uma refeição. Não tomar lanche,
- Comer principalmente verduras e frutas,
- Não abusar de saborear a manga, laranja, abacaxi, ameixa entre outras. Banana também, porque são muito doces,
- Recomendam-se as frutas ácidas como; limão, laranja, mamão, melancia e etc.,
- Os alimentos tradicionais geralmente são bons, exceto carne e sucos com açúcar. A coalhada salgada pode incomodar o estômago. Por esta razão é bom evita-la,
- Tomar 2 Litros de chá e um Litro de Urina no mínimo, por dia.
2. DIETA PARA OS DOENTES CRÔNICOS E OBESOS:
- A princípio (começo), seguir a Dieta comum,
- Não tomar o café da manhã,
- Três ou quatro dias por semana, fazer uma só refeição,
- Fazer um dia de completo JEJUM por semana,
- Durante o dia, tomar dois (02) Litros de chá e dois (02) Litros de urina,
- No dia de JEJUM, quatro (04) Litros de urina e repouso total.
3. DIETA PARA CANCEROSOS: - Tudo depende do diagnóstico
- Nas duas (02) principais semanas, fazer JEJUM; isto é, tomar somente dois (02) Litros de chá e quatro (04) Litros de urina por dia,
- Às vezes pode-se tomar suco de algumas frutas, sem açúcar,
- Se não alcançar os quatros (04) Litros de urina, poderá tomar a urina de criança do mesmo sexo, (Criança sendo o seu filho (a)),
- Com esta Dieta, a maioria das doenças cancerígenas desaparece no período de seis (06) meses, é clara; seguindo as instruções corretas anteriores,
- Os Tumores podem permanecer, mas não neutralizados, já não são malignos.
3ª SEMANA:
Na 3ª semana, podem-se comer duas (02) xícaras de arroz cozido com bastante água e pouca verdura, por dia.
- A quantidade de chá e urina segue normal,
- Este tratamento segue até desaparecer os tumores e sintomas, alterando-se com as duas (02) semanas de JEJUM e uma semana com o arroz,
- Se o doente apresenta bom estado, pode seguir a Dieta do JEJUM, sem comer o arroz, dentro de oito (08) semanas, o estado do canceroso é completamente restabelecido,
- No fim de cada semana, é importante fazer exames laboratoriais e médicos, para verificar o estado geral da pessoa.
BOA SAÚDE SEGUE EM FRENTE - MEDICINA NATURAL
O que temos de curar é a nossa própria vida!
A Medicina Natural tem a grande vantagem de curar as enfermidades crônicas e ser uma chave definitiva para o futuro. Apresenta também limitações e efeitos. Uma dessas limitações se deve à falta de fundamentos sólidos que a convertam em medicina sistemática e científica. Entre suas deficiências podemos assinalar as seguintes:
Ausência de:
1.     Teoria básica coerente,
2.     Método diagnóstico confiável,
3.     Análise e estudos sobre a efetividade clínica,... Inclusive das contraindicações,
4.     Garantia de maior possibilidade de repetitividade clínica por outra pessoa, com o mesmo método,
5.     Estudos e desenvolvimento conjunto, superando o sectarismo, individualismo, comercialismo, regionalismo e diferenças metodologias.
Por esta razão, depois de ter estudado os métodos existentes no  mundo, simplificamos e resumimos aqueles que se baseiam na cultura e tradições do lugar onde vivemos, tomamos em conta os mínimos requisitos que deve ter uma medicina sistemática.
AS IDEIAS QUE NOS SERVIRAM DE FUNDAMENTOS, FORAM AS SEGUINTES:
1.     A medicina Natural tem que ser “natural” e não agressiva, tomando em conta a vida do ser humano para selecionar tanto os materiais como os médicos que utiliza.
2.     A medicina Natural não deve significar só o curar-se das enfermidades, senão que também deve ser uma orientadora para melhorar a qualidade de vida do ser humano.
3.     A medicina Natural deve ser “popular”, ou seja; amiga do ser humano no sentido de que suas ideias e métodos sejam simples, compreensíveis e aplicáveis a todos os casos e todas as idades, sem nenhum risco.
Portanto na concepção de todos, que seja efetiva até para as enfermidades cônicas e também econômicas, de tal sorte que se possam aproveitar os recursos que existem no pátio da casa e no próprio corpo; que seja solidário a que possamos ajudar enfermos da família e das Comunidades, dependendo muito menos dos Médicos, especialistas, farmacêuticos, homeopatas, quiropráticos, acupunturastes, curandeiros e etc., não competentes na profissão e os competentes nas áreas para auxiliar os métodos da prática da u-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a a todos os presentes, mas, curamo-nos.
As doenças não são mais que um resultado da vida passada. A medicina Natural pode curar quase tudo indo à raiz. Por esta razão, dizemos que ela constitui uma chave definitiva e essencial para resolver os problemas de saúde que nós enfrentamos no dia-a-dia. Recordamos mais uma vez: O QUE TEMOS QUE CURAR É A NOSSA PRÓPRIA VIDA!
A MEDICINA NATURAL É UMA CHAVE DEFINITIVA QUE OFERECE UMA GRANDE PERSPECTIVA PARA O FUTURO
A medicina Natural, em qualquer lugar do mundo, se originou de nossa vida abençoada pela NATUREZA DE DEUS e sempre tem sido amida do nosso corpo e de nossa mente. Não nos esqueçamos de que nosso corpo é uma PARTE DA NATUREZA a qual, em princípio é inconciliável com os produtos químicos artificiais.
Sem dúvida alguma, não se pode ocultar a limitação que tem este movimento diante da grave situação de saúde do ser humano. Limitação caracterizada por suas ideias e metodologias originais.
“De todos os modos, é preciso indicar que a Medicina em geral ainda não se dá conta “de onde vêm tantas doenças”, “qual a sua origem, qual é sua causa principal”“. O ser humano sem nenhuma orientação de perspectiva de longa vida na visão da integridade do seu próximo mais inteligente das determinadas áreas da medicina, ele sendo médico, não tem o mínimo interesse na comunicação da cura do seu próximo.
O dinheiro vai e vem na riqueza dos seus bolsos de roupas brancas, cada vez mais e mais ricos, enquanto a humanidade perdida, acreditando nos remédios de laboratórios do modo geral, na certeza de curar ou não, e os planos em consultórios particulares, ficam ricos, esperando mais uma vítima das drogas com erros médicos sem o devido prazer da vocação de estudos e pesquisas medicinais.
É importante compreender que a causa principal das doenças que sofremos tem sua raiz em nosso estilo de vida, especificamente na alimentação inadequada, má e excessiva, no abuso de medicamentos químicos, em inseticidas no campo, nos maus hábitos da vida, como relações sexuais sem controle, machismo, egoísmo, orgulho, inveja e estresses. Por situações econômicas e familiares e também pela destruição do meio ambiente causado pelo ser humano, é que traz problemas no corpo humano de não saber cuidar da saúde e os males que virão num futuro próximo.
Sem conhecer a causa principal de nossas doenças, sem lutar contra as causas verdadeiras, como é possível ganhar a guerra da saúde. Primeiro, temos que ter conscientização das razões que nos leva a compreender sem o uso do preconceito de buscar nas pesquisas, meios de métodos antigos que Os Tibetanos, Hindus, Orientais, Religiosos e alguns personagens da Bíblia, fizeram no uso da prática da URINOTERAPIA em busca de curar-se de todos os males e hoje em pleno o século XXI, continuam no uso da prática da Urino terapia.
Estes fatores da vida estão provocando uma situação alarmante e generalizada de baixa defesa imunológica no ser humano. Se uma pessoa tem as defesas baixas ou qualquer enfermidade que seja, pode afetar, estando com as taxas baixas e até mesmo a AIDS. Mas, se não há mudanças de vida, a doença também se complica, apesar de qualquer tratamento. O tratamento em geral é secundário.
EXEMPLO: Se uma mulher sofre de dor e hemorragia devido a um tumor canceroso de útero, por meio de cirurgia, poderia extirpar o útero, sem pensar muito na função importante deste órgão para o corpo feminino. Não só os médicos, mas também as pacientes pensam que a cirurgia é a única maneira de escapar deste mal. Esta é uma realidade.
Nós não nos opomos à intervenção cirúrgica em si, se há necessidade, mas ao mesmo tempo queremos dizer, especialmente as enfermas que a descoberta do tumor é um momento muito positivo, pois este tumor, ainda que seja maligno, lhe oferece a oportunidade de refletir sobre sua vida passada, causadora desde tumor. O tumor não é mais um símbolo do envelhecimento dos órgãos e de baixa defesa generalizada do seu estado de saúde. Provisoriamente se poderá aliviar o mal com a cirurgia.
Sem dúvida algumas, anos depois aparecerão outros tumores em outros órgãos, a exemplo de ovários, pâncreas, mamas, etc., onde o paciente ou a paciente está fisiologicamente fraco. Você teria coragem de tirar esses tumores com seus órgãos?
Desse modo, as pessoas se arruínam. Nós não somos uma máquina em que basta trocar uma peça velha por uma nova. O futuro de certa forma não nos reserva este avanço na tecnologia. Consideramos, pela experiência, que, se descobre um tumor, vários outros já se encontram em estado latente, desenvolvendo-se... Por esta razão, dizemos que um tumor descoberto não é mais que um sinal do estar de mal com a vida generalizada naquela pessoa. Mesmo que seja maligno é um bom sinal e um bom ensinamento para corrigir os erros da vida passada, para não sofrer pelo “fantasma” de um tumor pelo resto da vida.
Portanto, desta forma, temos que modificar a maneira de viver, especialmente dentro de uma boa alimentação, os maus hábitos e a fé errante que temos nos medicamentos químicos e na agroquímica. Não nos esqueçamos de que a base da Saúde e da Medicina e a Alimentação e a Agricultura. De todos os modos, a Medicina Natural oferece um desafio atrativo para uma mudança de vida melhor pra todos.
Outro fator importante de nossos males é a infecção: um estado patológico transmitido pelos micróbios – isso está presente constantemente nas queixas e doenças do ser humano em quase 100% dos casos. Até na doença diagnosticada como “Artrite” (Dor nos ossos), se encontra frequentemente uma infecção provocada por uma parasita Borre lia SP. No entanto, a infecção para nós, não é uma causa da enfermidade, mas um fator dela desencadeante. Se uma pessoa tem boa defesa imunológica, não contrai infecção, não adoece.
A Medicina Natural, apesar das limitações, constitui uma chave definitiva e oferece uma perspectiva para um futuro no sentido de resolver os graves problemas de saúde do ser humano, já que todos nasceram do ventre do ser humano, cresceu em seu seio e está à frente das mudanças de vida do ser humano.
Pelas experiências que temos, estamos convictos de que para curar as doenças crônicas, incluindo o câncer, diabete e artrite, não há necessidade de nenhum tipo de tratamento especial, muito menos de tratamento químico e/ou cirúrgico. Simplesmente impõe-se mudar os costumes e o modo de vida, superando a fé errônica nos prejuízos que temos.
Com o coração aberto, aceitamos a ajuda que nos oferece a Natureza, com as plantas medicinais e a própria urina (Xixi). Assim nos curamos. Não só nos aliviamos, mas nos curamos. Estas ideias e metodologia foram introduzidas na Natureza e chegou até nós, aqui no Brasil pelo Mestre japonês, Doutor. RYOSUKE URYO. 
Consideramos que a saúde é um dom nosso, da família e da comunidade. A saúde é um direito de todos, direito não só de recebê-la, senão também de buscar a nossa própria maneira para preservá-la e desenvolvê-la.
Nós estudamos e analisamos os ensinamentos do Dr. URYU e tomamos em conta seu  espírito e metodologia; a partir disso, formamos uma metodologia integral de tipo tropical, para que o ser humano a sinta cômoda, efetiva, econômica e agradável. Nesse sentido, não estamos seguindo exatamente o método original, muito embora sigamos suas ideias e princípios fundamentais.
A QUEM PODEMOS APLICAR ESTA MEDICINA AGRADÁVEL:
Esta medicina agradável também a temos aplicado aos animais com bons resultados. Entre os animais que atendemos estão: cavalos, vacas, cachorros, galinhas, coelhos, com os quais sofriam doenças graves como: leucemia, tuberculose, infecções viróticas e verminose. Nesses casos, para tratamento, utilizamos principalmente urina (Xixi) humana, plantas medicinais selecionadas, jejum e acupuntura. A recuperação dos animais foi muito mais que a dos humanos. Obs.: Como você vê, o campo de aplicação da medicina agradável é bastante amplo nestes caos, uma vez que os processos sejam consideráveis na cura a exemplos anteriores aqui mencionados.
Na Nicarágua temos dados de Cursos de Capacitação neste método a mais de 280 promotores de saúde. Estes promotores atuam em mais de 180 Comunidades no país, oferecendo atendimento ao povo, especialmente na zona Rural onde há suficientes e nos bairros periféricos das cidades onde o povo não tem acesso, por motivos econômicos, aos serviços de saúde. O mais importante é que os promotores de saúde capacitados têm em todos, muitos êxitos no atendimento clínico de doenças comuns e complexas.
BEM-VINDAS “REAÇÕES RECUPERATIVAS” E “TRATAMENTO INTEGRAL”.
No ensinamento da URINOTERAPIA, temos mencionado as reações que ocorrem em qualquer tratamento como, por exemplo: Químico, Cirúrgico, Homeopático, e até acupuntura. Não obstante, queremos enfatizar que, no caso da URINOTERAPIA, as reações não significam, em nenhum sentido, uma piora ou complicação da doença ou afeito colateral negativo do tratamento. As reações na URINOTERAPIA, conforme se tem comprovado em milhares de casos em todo mundo, desde que o mundo é mundo, ao contrário das reações que nos surgem outros tratamentos químicos ou cirúrgicos, são muito positivos, necessárias e indispensáveis para a recuperação final.
Apesar de se este processo duro e doloroso (Porém virtuoso!), é uma etapa essencial da eliminação dos males escondidos no interior do corpo, Por esta razão, queremos e procuramos dizer aos enfermos que não se sustentem nem abandonem o tratamento, mas, ao contrário, devem lutar com mais firmeza e fé aprofundando todo o tratamento indicando, porque já estão muito perto da cura.
TRATAMENTO INTEGRAL
Outro aspecto de suma importância é que o tratamento deve ser sempre integral, mesmo porque as doenças em geral são integrais e complexas. Não dependemos somente da urina (Xixi), não dependemos somente das plantas. O tratamento há que ser integral, sobretudo se há problemas sérios e complicados ou se aparecem outras reações fortes. Voltando ao ponto de partida – refletir sobre a vida passada – devemos fortalecer todo o tratamento, jejuando mais, eliminando as comidas inadequadas, tomando toda a urina (Xixi) que sai, com a ajuda das plantas e concentrando-nos integralmente em todo tratamento indicado.
Durante o tratamento é bom repetir sempre: Exemplo: As seguintes palavras - “Com este tratamento estou melhorando... - Estou melhorando com a ajuda da Natureza e de DEUS”, mantendo o espírito alegre e cheio de esperança, convicto que está no caminho certo, sem nenhuma dúvida. Queremos agradecer a DEUS e a todos quanto colaboraram para que tivéssemos este valioso ensinamento em nossas mãos. Ajuda-te, que o céu te ajudará.
(DO TEXTO BÁSICO DE MEDICINA NATURAL DA FUNDAÇÃO COMUNITÁRIA E HOSPITAL DA NICARÁGUA).
Chá de plantas medicinais (Dois (02) Litros), urina (Xixi) - (Dois (02) Litros) e jejum.
1. Não é necessário gastar-se nem um centavo para o tratamento do câncer. (Custo ZERO)
O chá fresco das plantas medicinais (Litros), sua própria urina (Dois (02) Litros) e o jejum, são métodos decisivos para cura do Câncer, Diabete e enfermidades “incuráveis”. Além disso, deve-se usar a cataplasma de barro, escalda-pés e passar a ferro quente no local doente, entre outras atividades. No caso dessas enfermidades, o mais importante é tomar boa quantidade de sua urina (Xixi) (Um galão – Cinco (05) Litros ou mais) e fazer jejum integral ou comer o mínimo possível durante umas semanas. As plantas medicinais são importantes, porém secundárias. De qualquer forma, o tratamento tem de ser integral e estrito.
2. Para quem servem estes tratamentos?
  - Boa quantidade de chá de plantas medicinais.
Para combater as infecções e parasitas, melhorar as funções renais e limpar o sistema digestivo Também se opera o melhoramento do metabolismo e dos líquidos corporais.
  - Boa quantidade de sua própria urina (Xixi).
Para fortalecer as funções imunológicas e a força recuperativa. Acredita-se que na urina se encontrem todas as classes de substâncias necessárias, como “anticorpos”, para combater nossa própria enfermidade. Por esta razão, recuperam-se rapidamente as funções do sistema nervoso, secreção hormonal, metabolismo, circulação e homeostases. Assim se rejuvenescem todos os órgãos.
- Jejuar durante semanas ou comer o mínimo possível.
Para dar um repouso geral ao sistema digestivo e uma renovação nos órgãos mediante o que se reativa e se recupera metabólica. Estando-se em totalmente em jejum, a urina (Xixi) nutre da melhor maneira possível o enfermo, pois tem conteúdo igual ao soro e ao sangue e distribui os elementos necessários entre os anticorpos. Ao comer alguma coisa, provoca-se um retrocesso da recuperação em geral, porque ainda que seja um caso de câncer de ovário ou dos rins, encontra-se em quase 100% dos enfermos cancerosos alguma anomalia ou infecção em seu sistema digestivo. O jejum é o próprio “carnívoro”, ou seja, comendo sua própria carne, as células e órgãos sobrevivem e assim suas atividades se reativam. Somente deste modo nos curamos.
 FUNDAMENTOS DA DIETA E JEJUM – “HOMEM E TERRA SÃO INSEPARÁVEIS”.
A chave da recuperação da saúde é “Reduzir o possível de comida, baseando-se nos vegetais que nascem da terra”.
SEIS PRINCÍPIOS DA DIETA
Receba a energia e a vida dos seres vivos como elementos, principalmente os vegetais quem nascem da terra, em quantidade mínima e agradecendo a eles por estarem sendo sacrificados para favorecermo-nos.
Não dê valor aos alimentos com “artigos” importados, industrializados e químicos que não têm vida e são de procedência estranha. Com eles, o homem fica doente, mesmo porque o homem e a terra ficam muito separados.
2. Comer o vegetal todo, da folha até a raiz, da cabeça aos pés.
É importante receber a vida vegetal dos outros seres vivos que nos alimentam. A vida integral nos oferece sua energia sadia e suficiente. Portanto nos alimenta bem ainda que seja em pouca quantidade.
Um pedacinho apenas ou uma parte, como carne, já na tem vida integral e nos oferece energia partida e parcial e por isso que nestes casos se come mais quantidade e assim as pessoas adoecem.
No caso de querer-se comer animais, recomenda-se peixinho pequenitos, do tamanho da própria mão, para que seja possível comê-lo, da cabeça a cada. Não nos esqueçamos de jamais de que os alimentos são medicamentos.
3. Mastigar bem
Recomenda-se mastigar bem, pelo menos 30 vezes em cada bocado que coloca dentro da boca em um ambiente agradável. Mastigar bem é uma ajuda não só para o sistema digestivo, mas igualmente para o rejuvenescimento pelo fato de as glândulas salivares secretarem um abundante hormônio digestivo e rejuvenescedor chamado PAROTINA.
 Além disso, a estimulação de mastigar se transmite pela articulação mandibular ao cérebro que resulta, por isso, em mais inteligência conseguir.
4. Dieta para manter o corpo ao nível da leve alcalinidade (pH 7.2) – O açúcar, carne vermelha e de porco, são alimentos que representam forte acidez. Saborosos, porém daninhos!
Nosso corpo no líquido corporal, se é sadio, mantém-se no nível pH 7.2 (leve alcalinidade). Se este equilíbrio se inclina para a acidez que seja pH 0,001 adoece. As enfermidades “novas” ou “antigas”, como câncer, diabete, enfarto cardiovascular, entre outros, são típicas doenças da Acidose e é o resultado da ingestão de excesso de alimentos ácidos. Os que gostam muito de açúcar e carne ficam doentes. A obesidade é um estado meramente de acidose e candidata a enfermidades perigosas.
As verduras e frutas limpam o sangue até a alcalinidade. Por exemplo: O limão é um tipo de alimento alcalino, apesar de seu sabor ácido.
4.     Equilíbrio da dieta.
Por equilíbrio, aqui, não se entende o que diz a nutrição moderna ou medicina oficial, que fala muito sobre equilíbrio nutricional, principalmente sobre os cincos elementos nutricional: Proteínas animal, Hidratos de Carbono, Gordura, Vitaminais e Minerais. Exemplo: Elas recomendam que, ao se comer carne deva-se também comer salada. O mundo está dominado por este tipo de equilíbrio nutricional. Por isso tão grande presença de enfermos crônicos.
Não consideramos outro tipo de equilíbrio nutricional.
a)     Equilíbrio de entrada e saída de energia
Para ser bastante sadio, o importante no equilíbrio é ingerir a quantidade de alimentos (Entrada de energia) correspondente ao gosto ou saída de energia, como nas atividades físicas ou intelectuais desencadeadas (Recordar os “cinco elementos” da saúde!).
Se não há gosto de energia, melhor é não comer. Se não há saída, por exemplo, a causa de prisão de ventre é melhor não comer. É claro que ainda que trabalhe, ainda que esteja preso é preciso um mínimo de energia. Isso se chama ENERGIA DE METABOLISMO BÁSICO, para que sobrevivam o corpo e o cérebro. Porém isso não é mais que o mínimo (Calculam-se aproximadamente 1.000 calorias).
Para o equilíbrio alimentício, deve-se o fator idade e o envelhecimento. Segundo estudos, as atividades físicas e hormonais se reduzem com a idade, as quais se encontram no esplendor a auge aos 40 anos de idade.
No caso das mulheres se tem de levar em conta a história do parto que gasta as energias máximas. A partir dos 40 anos de idade, em geral, declina até à crescente diminuição o gosto de energia. Contudo, essas pessoas continuam comendo como jovem o que resulta consequentemente na obesidade e doenças. Com a idade, para ser sadio é imperioso modificar a dieta em quantidade e qualidade.
A grande maioria da população em maior e menor grau, sem distinção que tem, padece do sistema digestivo, sobremaneira do estômago, colo e intestino. Mais de 80% dos nossos pacientes sofrem de prisão de ventre. Se a gente come, come, come, sem solucionar o escoamento do intestino, logicamente adoece mais, porque não tem saída a energia.
A prisão de ventre é uma das principais causas de todas as doenças crônicas, especialmente as infecciosas e parasitoses. Devido à prisão de ventre, todas as comidas se estancam no intestino e colo e ali apodrecem. Esta putrefação é uma fonte de contaminação do corpo, sujando o sangue até à acidose, provocando infecções intestinais e hemorroidas, debilitando, enfim, o sistema de defesa imunológica.
Segundo nossas experiências e convicções, não têm que sair por aí, tomando de certa forma, remédios para os vermes; se por um acaso, se resolve o problema da prisão de ventre, elimina-se rapidamente os parasitas, inclusive solitárias plasmódio (malária), entre outros “mais duros” de eliminar.
O problema de verminose é causado por prisão de ventre. Por isso as plantas medicinais e a urina (Xixi), servem efetivamente dentro a nossa receita no dia-a-dia. Os animais, quando estão enfermos dentro de uma selva, sem nenhuma proteção do ser humano, eles não comem. E no caso do animal cavalo, como se sabe, morre em consequência de prisão de ventre; não aguenta mais que dois dias sem evacuar. Isso evidencia o quão terrível é este mal intestinal.
Não somos animais racionais com inteligência suficiente de nos compreendermos os atos e fatos que ocorrem durante a nossa vida desde que nascemos e ingerimos o primeiro alimento para o corpo. Primeiro, acima de tudo, temos que resolver o problema da saída (Prisão de ventre) antes buscar a entrada (Comida). Este equilíbrio é muito importante para  nossa vida e saúde no cotidiano.
b)    Equilíbrio das Energias do “YING E YANG” nos alimentos.
Esse conceito é pouco conhecido no nosso Continente, trazidos e mencionados pelos Orientais até nós. Por isso queremos tomá-los como ponto de referência, pois oferece algo de útil para escolha dos alimentos.
A energia YING é representada pela lua, pela noite, a chuva, o frio, vento, a terra a mulher e a fêmea; os órgãos como fígado, coração e rins. É uma energia centrífuga e produtiva. Nos alimentos se incluem nesse conceito os “imóveis”, ou seja, os que vêm da terra como os grãos básicos, a exemplo de verduras, algas e frutas. Em geral os que nascem e crescem na terra, que são considerável grande fonte de energia natural.
A energia YANG está representada pelo o nosso Astro Sol, dia, calor, fogo, homem e macho; órgãos ocos como estômago, intestino e bexiga. É uma energia centrípeta, explosiva e crescente. Nos alimentos, incluem-se nesta energia, os “móveis”, ou seja, os animais em geral como: Carne, pescado, marisco, ovos entre outros.
As energias YING E YANG nos alimentos se classificam a proporção de sódio (Na) e potássio (K) que cada um tem.
6. Comer pouco
Comer pouco é um segredo da boa saúde. Não deixe que os bons olhos e maus olhos, dominem a mesa com receitas Industrializada em geral e o olho grande. Diminuir até onde seja possível a quantidade certa de comida, é uma chave muito importante para recuperação da boa saúde. Os (As) nutricionistas e médicos honestos, sempre aconselham aos enfermos que devem estar muito bem nutrido para que tenham força e possam combater as enfermidades, e assim lhes receitam uma boa quantidade de comida, tendo ou não um ótimo apetite.
Aparentemente parece que isso tem lógica. Sem dúvida, a realidade clínica mostra outra coisa: Desta maneira não se recuperam os enfermos, ao contrário, em geral pioram devido ao fato de que a maioria sofre de algum problema digestivo e renal e seu corpo não tem condição de aceitar comidas, mesmo que sejam suaves como carne branca e leite.
A falta de apetite não é mais que uma manifestação do corpo que não requer alimentos. Sem dúvida, se ao contrário comer algo ou tomar por ordem médica por costume, logicamente adoecerá mais rápido ou por consequência de não se questionar de procurar por respostas honestas e certas.
A primeira tarefa urgente é fazer uma limpeza intestinal geral da infecção, intoxicação e  da “nutrição prisão de ventre antes de buscar comida.
O Doutor KODA, médico renomado, muito conhecido no Japão, receita aos enfermos crônicos só 450 a 1.200 calorias de sucos de verduras frescas ao dia. No conceito da “nutrição moderna” estas calorias não são suficientes ou apenas servem para a pessoa sobreviver acamada.
É claro que, sem dúvida, os pacientes do Doutro KODA devem cumprir exercícios físicos com esta mínima quantidade de alimentos. É assim que se curam as pessoas enfermas, que às vezes estão sem nenhuma perspectiva de vida.
Nossa experiência mostra que as pessoas se recuperam mais rápida e satisfatoriamente se fazem jejum – método indispensável e decisivo para recuperação do corpo.
PELO JEJUM SE FORTALECE O SISTEMA DE DEFESA DO CORPO - É UM MÉTODO INDISPENSÁVEL E DECISIVO PARA A CURA DE VÁRIOS CÂNCERES, DIABETES, ARTRITE E ENFERMIDADES “INCURÁVEIS”.
Wal – Dia 23/12/2012 à 01/01/2013.
Fundamentos da u-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a.
mr.washington2010@gmail.com
Outro exemplo.
Tomar urina? O que você é capaz de fazer pela cura?
Polêmica em torno de um tratamento alternativo. Porém milenar. Adeptos relatam curas e melhorias nos processos de enfermidade.

dona de casa Heloísa Ferreira, 62 anos, moradora do bairro Bela Vista, cansada de sentir fortes dores na vesícula e enfrentar constantes internações hospitalares, resolveu encarar a u-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a, tratamento alternativo a base de urina. É isso mesmo! Há quatro meses, ela vem ingerindo um copo da própria urina por dia. E está surpresa com os resultados.
Além das dores na vesícula, que, segundo ela, desapareceram totalmente, afirma ter sentido importante melhora na garganta, que também sempre doía. Na avaliação dela, arrefeceu o nervosismo patológico que tinha desde criança, o que gerava sofrimento. E ainda garante ter ganhado disposição para levantar e viver o dia com mais ênfase, já que sofre de depressão. 
O quadro geral é tão melhor que Heloísa se vê hoje como uma nova mulher, “até no modo de andar”. “Semana que vem vou fazer exames médicos”, avisa Heloísa. Só para se certificar sobre o que aconteceu em seu organismo. No dia 10 de fevereiro, quarta-feira pela manhã, ela estava entre homens e mulheres, de várias idades e aparentemente de diversas classes sociais, à espera de atendimento no Centro Biosaúde, uma casa grande, porém simples, situada no bairro Novo Paraíso II, na periferia de Cuiabá. Segundo o padre Renato Roque Barth (foto maior), que responde pelo Centro, o que cura não é a urina, mas a mente.
“A urina apenas potencializa princípios ativos”, afirma. Ele e outros oito terapeutas fazem o atendimento ao público, que chega lá com diversas enfermidades: de dores de cabeça infernais ao câncer; em busca deste tratamento, que a medicina alopática ignora e condena. “Ignora e condena, porque não está preocupada com a cura. Para ela, o que gera o lucro é justamente a doença”, vaticina o padre.
Antes mesmo de questionar a seriedade da urinoterapia, a primeira reação geral, de quem toma conhecimento deste método, é o asco. Ingerir a própria urina? Quem daria conta disso?  “A gente aguenta tanta dor com a doença e por tanto tempo e na hora que acha o tratamento vai ficar de frescura?” – questiona Heloísa.
Há um paliativo. Antes de começar o tratamento propriamente, durante três dias, o paciente toma chás depuradores que tiram o cheiro e a cor do líquido. No terceiro dia, o mais difícil é suportar o calor da urina, que pode ser confundida com uma xícara de água morna. “Você não toma cerveja?” – pergunta Heloísa. Cerveja é coisa que ela odeia.
“Então! A gente fica com essa resistência com a urina, porque a gente vê e sabe o que está tomando. Mas eu pergunto: você sabe onde fazem os doces e as comidas que a gente come na rua? Se a gente visse tanta sujeira que está por trás disso não diria mais: ai que delícia!”
O irmão dela teve um derrame. Estava mal. Também fez a urinoterapia. Agora ninguém diz que quase morreu. “Anda para todo lugar, vai a bancos, recuperou as forças”. Todos os pacientes que chegam ao Bio-saúde têm resultados positivos. A questionável estatística é do padre Renato. Ele, porém, repete que uns ficam mais satisfeitos, outros menos. “Pessoas com doenças graves, como câncer e AIDS, por exemplo, que chegam aqui muito judiadas, vai ter uma melhora significativa, mas o corpo pode já não dar conta de reagir até a cura”. A esses, muitas vezes a orientação é para tomar toda a urina que sair até a hora do almoço.
A integralidade do tratamento é assumida pelo paciente, que é inclusive quem faz o diagnóstico de si mesmo, após uma longa conversa inicial com um dos nove terapeutas que compõem a equipe de atendimento. Para padre Renato, o que os outros pensam sobre isso não importa. Ninguém é forçado a tomar urina. Ninguém é obrigado a fazer nada.  
Quem quiser que esqueça esse assunto, entre na próxima drogaria e compre mais uma dose. Benefícios do barro - Além da urina, o Centro Bio-saúde também indica a argila. Genivaldo da Silva Jesus, 50 anos, motorista, sofreu grave acidente há um ano, na estrada entre Cuiabá e Cáceres. Estava transportando poste, carga pesada. No acidente, não morreu por pouco. Bateu a cabeça muito forte e ficou surdo de um lado. “Ia operar da cabeça, mas disseram que é muito perigoso”. A perna direita dele também dói muito.
Genivaldo está “encostado” pela Previdência. Mas não é do temperamento dele ficar parado. Quer logo voltar à ativa. Ficou sabendo do Centro Bio-saúde e resolveu experimentar. Está tomando chás, do período pré-urina.
A base do tratamento todo é fitoterápica. Na perna, ele usa argila. “As juntas já pararam de doer”, assegura. Prática é milenar - Uma escada estreita e espiral leva a um escritório no segundo andar. É lá que o padre Renato atende à revista Sina. Ele aponta para uma moça ao computador, e diz que ela lê e responde e-mails que o Centro Biosaúde recebe do Brasil e do mundo. Gente muito mal de saúde, desacreditada pela medicina convencional, encontra no Biosaúde a chance remota de cura urgente.
Na salinha, funciona a Associação Brasileira de Saúde Popular, que articula núcleos de atendimento muito parecidos em outros sete países, como Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai, mais os países da África Central, principalmente o Gabão e o Congo. Padre Renato explica que a urinoterapia, a fitoterapia e o tratamento a base de barro são técnicas milenares, oriundas no Japão e na Índia, mas, na história recente, quem reacendeu esses métodos no ocidente foi o Doutor Uriu.
“A urinoterapia consta nos livros sagrados dos Vedas; há 105 versículos ensinando com usar a urina”, diz ele. Isso remonta dois mil anos a.C., no tempo de Abraão. “Era costume popular”. Porém, essas técnicas salutares aparecem, segundo ele, durante toda a linha da história da humanidade, sendo abafadas fundamentalmente após 1850, quando é registrada a primeira farmácia alopática. A partir daí, lamenta o padre, o mundo foi se enchendo de farmácias e nós de doenças. “No Ceará, uma irmã cristã fez uma pesquisa em comunidades e verificou que muita gente lá toma urina. Indígenas também são adeptos, algumas etnias”.
Padre Renato ensina ainda que hábitos alimentares podem potencializar o tratamento ou prejudicar. Não comer carne, seja vermelha ou branca, é uma das indicações. Outra dica é dizer não aos refrigerantes. “Respeitando seu corpo e o corpo dos animais, fica aí uma lição de equilíbrio e harmonia entre os seres vivos”, diz o padre. Fazer jejum por um ou dois dias por semana também é indicado.
A urinoterapia, a fitoterapia e o tratamento com barro vão além de um tratamento de saúde. A proposta é filosófica, de harmonia do corpo, da mente e do espírito.
Nas palavras do padre Renato: “Um caminho de liberdade e saúde física, emocional, psíquica e espiritual. E, portanto, de felicidade”. Para CRM, é charlatanismo - O Conselho Regional de Medicina (CRM) não fica muito feliz com essas práticas alternativas. Pelo contrário. “A gente vê isso com muita preocupação”, alerta o presidente do CRM-MT, Arlan Azevedo. Muita gente deixa o tratamento oficial, para, segundo ele, se aventurar em métodos que não são cientificamente comprovados.
“A medicina é baseada em evidências científicas. Pesquisas são feitas para comprovar resultados. Só então tratamentos passam a ter validade. Para saber se uma planta funciona, é preciso experimentar. Escolher animais de laboratórios, dar essa planta a eles, observar como reagem”, defende.
Azevedo diz que quem faz a troca da alopatia por métodos não confiáveis volta ao consultório médico mais tarde com o organismo mais comprometido. “Esses malandros se aproveitam do sofrimento dos outros”, ataca o médico.
Segundo ele, práticas assim devem ser denunciadas como exercício ilegal da medicina. Dizer que a indústria farmacêutica não busca a cura porque não interessa economicamente, para o presidente do CRM é uma “visão tosca dos fatos”. Um medicamento eficiente rende bilhões. “Então, a cura é importante do ponto de vista do dinheiro também”, afirma o médico.
Arlan Azevedo acredita que as melhoras observadas pelos pacientes do Biosaúde ocorrem por indução da mente, que, segundo a ciência comprova, só avança 20% no processo de tratamento. Então, apesar das divergências, há entre os dois lados ao menos uma convergência: o entendimento que a mente é a grande chave de qualquer cura.
A Igreja oficial - Convidado a se manifestar em acordo com os preceitos da Igreja Católica, o Arcebispo de Cuiabá, Dom Milton Santos, se mostrou aberto ao processo de cura proporcionado pela urinoterapia. “Não tenho, pessoalmente, nenhuma restrição até o momento sobre os serviços prestados pelo Centro Bio- saúde, quanto ao tratamento de urinoterapia. A Igreja Católica respeita quem faz o tratamento e quem presta o serviço: precisa ser com excelência!” Ponderou o arcebispo. 
A saída - Na saída do Centro Biosaúde, a professora aposentada Elizabeth de Morais, 62 anos, pede uma carona à reportagem. O carro dela pifou e precisa ir até mais adiante, buscar o mecânico. No carro, ela conta que diagnosticou um câncer no ânus. Tentou o tratamento alopático, mas não viu melhoras. Há cinco meses, está tomando urina. No exame de toque, não sente mais dores. Acredita que esteja curada. Mas não tem certeza.
Continuação do fundamento da U-r-i-n-o-t-e-r-a-p-i-a
Introduzindo
A Urinoterapia é uma forma de aplicar a medicina que existe há muito tempo, com escritos datados de 5.000 anos Antes de Cristo. Ultimamente, está sendo motivo de atenção pública em todo o mundo. Alguns poderão sentir até nojo ao escutar a palavra urina. Mas, aqui, é bom deixar de lado tudo e ter uma atitude de investigação. Ir ao encontro da verdade. Quem sabe..., estamos descobrindo algo maravilhoso que nos traga solução para casos desesperantes de enfermidades em nossas famílias. Acompanham-se mudanças rápidas na história do mundo. Há um anseio por grande transformação, está surgindo uma revolução silenciosa, mas significativa. Uma destas revoluções chama-se URINOTERAPIA.
Há muito tempo se sabia que a urina é um medicamento muito valioso. Serve para curar quase todas as enfermidades sem provocar danos ao organismo. Os Hindus a usavam para curar tumores (câncer) ou artrites. Os Árabes curavam doenças da cabeça ou da boca. Os Japoneses curavam gonorreia e sífilis. Os Nicaraguenses curam conjuntivite, inflamação do ouvido e parasitas. Com o desenvolvimento das ciências, tecnologia e modernização da vida abandonou-se esta boa tradição. Veio o reinado dos remédios químicos com materiais estranhos ao organismo. Estes não resolveram os problemas de saúde apesar de contar em suas fileiras mais de 12.000 espécies.
A situação da saúde da população piorou muito e sinal disso é o aumento de casos de câncer, SIDA, apatetes, asma... Até a terra, o ar, o mar, os rios, as plantas, os bosques e os animais estão doentes. Se não houver uma reflexão sobre o assunto, não há boas perspectivas de melhorar a questão de saúde. É possível que um dia se chegue à cura da SIDA, mas com certeza surgirá uma doença pior com vírus, fungos ou bactérias mais resistentes.
Os medicamentos químicos possuem duas faces. Ajudam um pouco a curar doenças, mas, geralmente, possuem um efeito colateral. Atacam outros órgãos. Debilitam a resistência imunológica do organismo. As vantagens do uso dos medicamentos são menores que os riscos. Está chegando o tempo de abandonar a fé nos medicamentos químicos. Não se pode esquecer que a indústria farmacêutica se desenvolveu pensando mais em vantagens para si, que a preocupação da saúde da população. Se há uma solução bem mais simples, por que não experimentá-la.
Nosso corpo é uma fábrica farmacêutica natural. Produz o que é necessário, como: analgésicos, antibióticos, materiais imunológicos e vários hormônios sofisticados para curar e prevenir doenças. Se nos tornarmos dependentes dos fármacos, nosso organismo não os produz, os metabolismos não funcionam e se atrofiam. A solução é quebrar com esta cadeia de dependência e aumentar a resistência do sistema imunológico, com uma boa resistência imunológica não há mais enfermidade. A urina é um excelente passaporte para isso.
Apesar de a ciência moderna ter inventado muitas coisas, sabe e pouco ainda a respeito dos mecanismos que envolvem a vida do ser humano. A verdade das coisas pode estar de uma forma muito simples em nossas mãos ou dentro de nós mesmos. Tomando a própria urina você saberá onde está a verdade.
Diariamente, passam pelos rins 180 litros de sangue. Destes, 99% retornam para o organismo filtrado e 1% sai como urina. Os ingredientes, cor e cheiro são muito semelhantes ao soro do sangue. As pessoas sadias não possuem bacilos ou micróbios em seu sangue e tampouco em sua urina. Quando alguém tem uma infecção renal ou outro tipo, é possível que tenha, mas em tão pequena quantidade que não afeta em nada um tratamento feito pela urina.
Antes, essa pequena quantidade funciona como uma auto vacina. Há o caso do médico R. Nakao, fundador da Associação Acadêmica da Sociedade Médica do Japão, que aplicou, na segunda guerra mundial, tratamento urinoterápico a casos de gonorreia em soldados e civis com bons resultados. Em casos de aplicação de urina em infecção do aparelho urogenital, a cura se dá em pouco tempo.
Consideremos o caso do feto que cresce entro de uma bolsa do útero. Ele cresce tomando diariamente uma quantidade líquida amniótico, que é semelhante à urina em seu conteúdo. Estudos desenvolvidos dizem que o feto nos últimos meses urina 500 cc diariamente. E toma a mesma quantidade do líquido contendo a urina. Por estas considerações vemos que a urina não é algo sujo. Se Deus preparou este ambiente para que nascesse uma nova vida, como se pode crer que a urina é suja? Essa é a ideia e produto da cultura e educação de nossa sociedade.
Os costumes de usar a urina com meio de tratamento existe no mundo há muito tempo. O veda hindu chamado SHIVAMBUKALPA (5.000 a.C) dedica 107 capítulos à Urinoterapia. Entre os budistas da Ásia sempre houve a prática da Urinoterapia. No Japão, um mestre do budismo chamado IPPEN criou uma seita com mais de um milhão de crentes. Seu sucesso estava nos fundamentos da seita baseada na Urinoterapia. Os monges tibetanos têm a tradição e costumes de tomar sua própria urina e vivem até 150 anos de idade.
No Golfo Pérsico os odontólogos árabes usavam urina para tratar cáries e problemas das gengivas como antibióticos e analgésico. Na América Central o uso da urina é comum. Em El Salvador o costume é muito difundido nas zonas rurais. Na Nicarágua os curandeiros recomendavam a seus pacientes o uso da urina para o combate de diversas enfermidades.
Os rins têm várias funções indispensáveis para manter a vida através da produção da urina. Por ela são evacuados materiais tóxicos, mantém-se o equilíbrio ácido-base e o metabolismo eletrolítico. O sangue é filtrado pela cadeia de pequenos orifícios no interior do rim. Há uma membrana que filtram umas 7.000 moléculas de ureia e ácido úrico e deixam passar em torno de 50.000 moléculas de proteínas ou glóbulos.
A quantidade de filtração é de 120 ml por minuto ou 180 litros por dia. O líquido filtrado passa por tubos urinários e é reabsorvido ou secretado. 99% são reabsorvidos e circula como sangue e 1% saem como urina (aproximadamente 1,5 litros). Desta forma concluímos que a urina é um produto do sangue.
· Materiais reabsorvidos: água, sódio, d-glicose, aminoácidos, ou seja, a maioria dos componentes do sangue.
· Materiais não absorvidos: ureia, ácido úrico, creatinina, sais minerais inorgânicos e produtos tóxicos.
·Apresentação: coloração amarela. Uma pessoa produz, aproximadamente, 1,5 litros por dia, PH 5 a 8 (geralmente PH 5 a 6 ácidos), pressão osmótica 50-1500 m OSM por litro, peso específico 1050 a 1025. 5.
A partir da década de 70 foram desenvolvidas algumas pesquisas. Descobriu-se que o ácido úrico da urina joga um papel muito importante para produzir e reativa o ADN das células. Uma segunda função do ácido úrico é o rejuvenescimento dos órgãos. Em 1971, na Universidade de Medicina de Koto (Japão), foram descobertos materiais anticorpos como Interoikin, Renina, Prostaglandina. Estes materiais combatem infecções e tumores malignos.
A Universidade de Harvard descobriu na urina o SPU hormônio que se produz durante o sono e funciona como antibiótico, analgésico, melhora a circulação sanguínea e promove a secreção de outros hormônios. Pelas funções destes hormônios se proliferam e fortalecem os materiais imunológicos como T-limpa-glóbulo, imunoglobulina e glóbulos brancos.
As grandes empresas farmacêuticas de países industrializados, competindo para chegar primeiro, estão comprando e importando urina. Produzem cosméticos sofisticados para uso das mulheres da alta sociedade e preciosos medicamentos com antidepressivos. No Japão, as empresas estão importando grande quantidade de urina dos soldados da Coréia do Sul. As mulheres ricas usam estes produtos a base de urina no combate às rugas que aparecem com o tempo. Passou a ser moda o uso de cosméticos, medicamentos e pastas de dente que contém ureia da urina humana.
Para se prevenir contra doenças se toma a quantidade de 100 cc (100 ml) por dia. Para o tratamento de uma doença já instalada se toma, no mínimo, 200 cc (200 ml) por dia. Para casos mais graves se podem tomar maiores quantidades, pois a urina não possui contraindicação ou limites de quantidade. Há casos em que é necessários recomendar tomar toda a urina que o corpo produz.
A urina pode ser tomada em qualquer hora do dia, mas a melhor é a primeira que sai de manhã. Nesta urina se encontra um material especial chamado SPU-hormônio. É um material hipnótico produzido durante o sono que age como antibiótico, analgésico, ativante da circulação e estimula a secreção de outros hormônios. Se for difícil para tomá-la. A princípio se começa com pequenas doses que depois poderão ser aumentadas gradativamente. O sabor da urina é mais suave quando se tem uma alimentação mais natural, vegetariana e com menos carne.
Há outras formas de aplicação da urina. O hospital de Guerson de S. Diego (USA) receita um jejum durante algumas semanas só de urina e verduras.
Depois do jejum começa receitar uma dieta a base de legumes e verduras. Assim são tratados cancerosos doentes de SIDA. No Japão, casos de câncer do intestino grosso ou útero, além de tomar urna aplicam no órgão doente urina com uma seringa. Doenças da pele com úlceras, feridas, vitiligo, manchas escuras, varizes, alergias e outras, se aplica urina sobre a região afetada. No nariz, olhos e boca (inflamação, cáries, dores...) trata-se com bochechos ou enxaguando-as. A infecção vaginal lava-se com sua própria urina.
Na Índia o primeiro ministro Sr. Dasai, companheiro de Mahatma Gandi, costumava se banhar, fazer massagens no corpo, fazer xampu e tomar a 1ª urina da manhã diariamente. Dizem que nunca adoeceu, está com 95 anos e continua trabalhando na política com energia. Assim podemos dizer que a urina produz bons resultados, tomando, colocando, introduzindo, enxaguando, massageando e banhando-se. Unicamente não se recomenda injetar a urina, pois é importante que ela passe pelos canais apropriados através dos quais ela será processada de acordo com as necessidades do organismo.
É importante lembrar que a urina tomada não deixa gosto ou cheiro. Ao contrário, ela cura mau hálito que é problema de muitas pessoas. Após a ingestão da urina, se toma um pouco de água e pronto! Desaparece todo e qualquer sabor. No uso externo da urina é necessário lavar a região tratada depois de um determinado tempo. Somente neste caso costuma aparecer cheiro, se assim não se proceder.
São sintomas que aparecem quando se toma urina. Às vezes se tem a sensação de que piora o estado de saúde. Não há por que se preocupar, pois é uma reação sadia, positiva e necessária. Os sintomas que aparecem são aumento das dores, diarreia, furúnculos, alergias, comichão, aftas, febres, secreção dos olhos, mamas ou vagina, sensações estranhas no estômago e intestino, sono profundo, cansaço etc.
As reações não aparecem todas ao mesmo tempo, dependem da profundidade ou tempo em que a doença está instalada no organismo. Estas reações são sinais importantes de que está ocorrendo à cura. São reações passageiras e que variam de acordo com a gravidade da doença e a quantidade de urina ingerida. Deve se aceitar com tranquilidade essas reações, não se preocupar com elas e até mesmo aumentar a quantidade de urina ingerida. Em pouco tempo essa reações desaparecerão.
Medidas para suavizar as reações recuperativas fortes:
· Começar ingerindo pequena quantidade de urina (um copo pequeno) para depois, aos poucos, ir aumentando;
·  Em caso de dores, massagear o local com a própria urina;
· Nas alergias, furúnculos e outras reações na pela, aplicar urina com um algodão. Nos olhos, nariz e ouvidos, colocar urina com conta-gotas;
· Na garganta, útero, ânus, vagina e intestinos, aplicar urina com uma seringa;
· Suavizar as reações com uso de plantas medicinais adequadas e checadas, fazer exercícios como caminhar, correr, brincar, nadar, dançar...
Quatro princípios para que o tratamento tenha efeitos rápidos e tranquilos:
·   Acreditar firmemente que sua urina cura;
·  Ter paciência de tomar a urina até alcançar a cura;
·   Ter coragem de tomá-la, na primeira vez;
·   Agradecer a Deus porque a urina é um presente de Deus.
·   Indicada contra infecções, como os antibióticos.
·   Indicada contra tumores como câncer e sarcomas.
·   Indicada para dissolver materiais estranhos como cálculos renais, biliares etc.
·    Indicada para equilibrar os hormônios.
·    Indicada para equilibrar a hispo/hiperfunção dos nervos.
·    Indicada para melhorar a circulação sanguínea.
·    Indicada para fortalecer a resistência do sistema imunológico.
·    Indicada para produzir anticorpos.
·  Enfermidade sexual - gonorreia.
· Enfermidades do tecido conjuntivo - artrite-reumatoide, esclerodermia, lúpus erythemadoides sistemático.
· Tumores malignos - sarcomas do fígado, tireoide, esôfago, cólon, pâncreas, colo do útero, ovário, mamas, próstata, leucemia, linfoma maligno (vasos linfáticos).
·    Tumores benignos - ovário, cólon, estômago, esôfago e útero.
·  Enfermidades infecciosas - herpes, malária, aftas, hepatites, cirroses, gripes, catarro etc.
· Enfermidades cérebro-cárdio-vasculares - derrame, tumor cerebral, tumor artéreo cerebral, enfarte, angina, arritmia e hiper/hipotensão.
·  Enfermidades respiratórias - asma, bronquite, pneumonia, tuberculose, tosse crônica, faringite, amidalite.
· Enfermidades digestivas - esofagite, gastrite, úlcera gastroduodenal, colite, diarreia, pólipo digestivo, cálculo de vesícula, hemorroidas.
· Enfermidades gênito-urinárias - cálculos dos rins, bexiga, nefrose, infecção renal, vaginite e pólipo de vagina.
· Enfermidades ginecológicas - problemas de menstruação, pólipo de útero, ovário, mastite, fibroma mamário, uteromioma, endometrite.
·   Enfermidades ortopédicas - lombalgia, artrite, ciática e neurite.
· Enfermidades dermatológicas - dermatite nervosa, alergia, abcesso, hongo, comichões, furúnculos.
·   Enfermidades sensoriais - catarata, retinite, hemorragia retinal, zumbido, otite, dor de ouvido, sinusite e conjuntivite.
· Outras enfermidades - gota, diabete, hemofilia, depressão, insônia, neurose, enxaqueca, impotência, contaminação radioativa, epilepsia, histeria e desnutrição.
· Em caso de pressão alta se recomenda o uso de urina pois ela contém potássio que ajuda a baixar a pressão.
· No período da gravidez o uso de urina não prejudica o feto e a mãe. A urina ajuda a gravidez permanecer em bom estado.
·  A urina é excelente para crianças, pois previne infecções e parasitas.
· A urina não deixa cheiro na boca. Por sinal ela cura o mau hálito e outros males provenientes da boca e estômago. Para eliminar algum sabor da boca basta fazer um bochecho e beber um gole de água. Somente no uso externo pode aparecer algum cheiro, por isso após o tempo de uso é necessário lavar com água a região tratada.
· É normal que a urina mude sua coloração de um dia para o outro. A coloração depende de vários fatores tais como: tipo de alimentação, hortas de sono, cansaço ou emoções. Pode se continuar tomando sem problemas.
·   As reações recuperativas costumam aparecer de múltiplas formas e nem sempre ao mesmo tempo. Tudo dependerá da quantidade de urina e do tempo ou gravidade da enfermidade.
·   Há casos de algumas doenças que não se possui conhecimento oficial de cura, mas se sabe nestes casos que pelo menos o sofrimento dos pacientes foi amenizado. Houve aumento de resistência do sistema imunológico.
A urinoterapia entre os índios brasileiros. A auxiliar de enfermagem Alcilene Mota Sá da Silva fala de sua experiência entre os índios do Pará. Nasci no interior do Maranhão. Aos sete anos fui para Bragança, no Pará, e saí de lá com 16 anos. Passei toda a minha adolescência ao lado dos índios. Com eles aprendi muita coisa sobre remédios caseiros.
Onde a gente morava, não havia médico, a gente vivia praticamente da natureza. Minha mãe criou oito filhos sem INPS. E todos saudáveis. Os índios tinham muita amizade com meus pais. Traziam mandioca e muita caça - paca, veado, ave - para trocar por mercadoria no comércio do meu pai. Índio não mexia com dinheiro. Em troca, meu pai dava para eles coisas diferentes, da cidade. Meu pai ficou sendo uma pessoa muita respeitada por eles. Havia época que eles ficavam em fila na frente do comércio e meu pai atendia a todos eles.
“Então, tudo que meu pai falava: ‘olha, tá acontecendo assim e assado”, eles vinham e ensinavam: "faz isso que é bom". E nos ensinaram como usar a urina. Quando havia alguém gripado, nos ensinaram a tomar urina em jejum - esse era nosso remédio normal. Gripou - não se precisava perguntar o que tomar. A gente sabia que índio pode sofrer qualquer tipo de doença - menos gripe. Porque a gripe neles leva à tuberculose no mesmo dia.
Eles tinham muito medo. Se soubessem que alguém estava gripado, não se aproximavam. Tomavam muito cuidados. Qualquer espirro, eles tomavam urina e mandavam qualquer pessoa tomar urina. Para poder evitar, era dito: “quem toma urina quando está gripada, a doença não prossegue”... Ela já vai cortando'. Quando ficava com falta de ar, a criança tomava urina. Aí expectorava. Quando a criança tossia, o catarro soltava. Vinha aquele catarro amarelo pra fora e não a cumulava. Diziam que a penicilina, quando se está gripado, abafa o catarro no pulmão e acumula. No que acumula, vira tuberculose e complica tudo. Com a urina, não! Com ela se consegue expectorar e pôr para fora. Nos casos de diarreia, a criança, às vezes, botava poças de catarro pelas fezes. Aqui não se vê isso.
Contra caspa e ferida na cabeça, usávamos urina. Lá havia muitos pernilongos (carapanã) que picavam durante a noite, causando uma feridinha na raiz do cabelo. Como era muito quente - a temperatura lá é de 37o C quase sempre - ficava aquela coceira. Criava feridinhas que eram lavadas com urina. Nunca lavei o meu cabelo com xampu, só com sabão. E quando o cabelo ficava quebradiço, diziam:
"O teu cabelo está quebradiço. Está na hora de lavar com urina!" Quando tínhamos conjuntivite (dord'olho), se saía pus e uma secreção do olho pingava urina. Contra terçol, usávamos também urina. Éramos ensinados a tomar banho no rio. Eu nunca soube o que é uma torneira. Lá toda a meninada ia para o rio tomar banho de calcinha. Quando caí à água no ouvido, a gente abaixava a calcinha, catava um pouco de urina e despejava quentinha no ouvido. Na hora, agente sentia aquele burburinho, virava a cabeça e a água saía. A urina era o nosso remédio para ouvido para secreção no ouvido, pus no ouvido... Também para o nariz entupido dos filhos pequenos usavam urina. Como não existia conta gotas, a mãe mesmo pingava a urina com a mão. Pingava urina no nariz e á conseguia que abrisse! Mais tarde, nos meus quatro filhos, o Rino sonoro, seria a urina.
A criança era ensinada a cuidar dos dentes, porque não havia dentista. Então a gente tinha muito cuidado. Quando começava a infeccionar, já lavava com urina, que também servia para lustrar. Fazíamos café (sem coar porque não tinha coador). Ficava aquela borra que não jogávamos fora, mas colocávamos numa vasilha e misturávamos com urina. Esfregávamos nos dentes, que ficavam brilhando! Se aparecia um quisto perto do dente - e ficava aquela bochecha inchada - a gente fazia bochechos com urina, bastantes bochechos.
No dia seguinte, o pus vazava perto do dente. Havia muita impingem - uma coceira - porque havia muito bicho que pica. Para a impingem a urina era usada depois de uma semana, quando já estava com aquele cheiro forte. Aí se molhava um algodão e passava em cima. Isso dói! A urina velha queima demais... Mas, sara.
Eu passei muito tempo com uma alergia, uma coceira na nuca. Não sei se era o cabelo ou se eu suava muito. A pele ficou grossa, grossa mesmo. Minha mãe foi para a cidade onde ensinaram muito creme para ela. Mas, ela nunca passou. Passamos sempre urina qualquer infecção de pele, era sempre urina. Feridas abertas, por exemplo: na perna, também eram tratadas com urina. Trepávamos muito em árvores.
Quando alguém caía e se machucava, a gente mandava logo um coleguinha mijar. Para nós era normal. Aqui não se pode fazer isso! Nós não tomávamos antibiótico. Ensinavam que a penicilina é uma doença contra a humanidade, pior do que a doença a ser tratada. Na minha juventude não existia antibiótico. Na gravidez, quando a mãe começava a sentir dor, tomava um copo de urina para aumentar as contrações. Tomava um copo de urina quase quente, que acabava de fazer, e logo seguiam as contrações.
O parto era normal, sem problema de hemorragia. Eu, durante a gravidez apesar de ter saído de lá e morar na cidade grande, também tomei urina do começo ao fim e nunca tive qualquer problema. A pesar disso, até pouco tempo, eu tinha muito medo de me abrir. Era difícil falar para minha vizinha: "Se você está com bronquite, toma urina que sara!" Fonte: Entrevista concedida ao Dr. Masanami Kojima em São Paulo. Artigo extraído do livro: Conheça outras terapias, organizado por Hildegard Bromberg Richter (TAPs), Editora Paulus, São Paulo, 1998. NAWIKIPEDIA.
Trata-se de terapia alternativa ou filosofia de vida que busca a harmonia do corpo, da mente e do espírito através da ingestão de urina. A prática remonta aos primórdios da história dos países orientais tendo se difundido também em culturas dos países do ocidente. Sua prática asseveram os adeptos, previne e cura diversas doenças, existindo relatos de cura do câncer. Cientificamente a urina não é tóxica e se compõe de 90% de água e 10% de nutrientes não absolvidos pelo corpo e hormônios.
A urina nada mais é do que sangue filtrado pelo fígado e rins, principalmente pelos rins que para os adeptos da urinoterapia é o órgão mais importante neste processo de filtragem do sangue. Muitos relatos levam a crer que a primeira urina excretada após uma noite de sono é a ideal para a ingestão, visto que carregada de hormônios benéficos para o organismo e para o cérebro, pois a rei gestão dos hormônios excretados durante o sono são benéficos para o equilíbrio do cérebro e da memória.
Relatos de ex-combatentes da segunda guerra mundial apontam para o poder cicatrizante da urina, isto se dá porque há grande concentração de cortisona, o que a torna antisséptica, bactericida e cicatrizante, sendo excelente também para tratamento de queimaduras. Os japoneses e indianos já conhecem a prática da urinoterapia a milênios, sendo que os primeiros a utilizam inclusive como cosmético, rejuvenescendo a pele com a aplicação de urina sobre a mesma. A maior eficácia da terapia depende também da alimentação, que requer ingestão de verduras, legumes e frutas, todos crus, e a ingestão de muita água. Para aqueles que se interessarem sobre a matéria, existem várias obras na literatura médica alternativa que exemplificam as diversas formas de utilização.
Shivambu Kalpa Vidhi
Na Índia milenar, yogis shivaístas de algumas linhagens, têm na austeridade o objetivo de obter poderes místicos, como levitar, ficar invisível, conquistar força para mover estrelas e mundos, ficar do tamanho de um átomo, caminhar sobre as águas, em fim, conquistar os elementos materiais, como a água, o fogo, o ar e a terra.
Existe uma obra shivaísta, denominada de “Damar Tantra”, que pertence aos tantras menores, onde se faz menção ao ato de beber a própria urina como uma prova de demonstração de adoração a Shiva, e, assim, dele receber bênçãos com poderes místicos (“sidhis“). Constituído de 107 versos, o “Damar Tantra“, na parte correspondente ao “Anushtup shnadas”, fala-se que, na medida em que se bebe a própria urina - austeridade denominada de “Shivambu-kalpa” -, vai-se adquirindo poderes místicos, poder e força física e espiritual.
Entre as práticas do renunciante, encontram-se também menções ao ato de comer as próprias fezes. A pesar de tudo, é aconselhada a mistura de certas ervas, num chá, para que se dilua a concentração das toxinas da urina. Cada um destes chás, afirma-se desenvolver determinados poderes místicos, como a força de milhares de elefantes, por exemplo, e a potência sexual descomunal. O “Damar Tantra” explica que ao beber-se a urina, por um ano, adquire-se “o brilho irradiante igual ao do Sol”, conquistando por final o elemento terra, depois a água, o ar etc.
Estas e outras chamadas austeridades yóguicas shivaístas, constituem-se prática frequente por entre estes místicos, que não querem outra coisa, senão adquirir estes poderes místicos para poderem impressionar os outros e assim assemelharam-se a Shiva. Entretanto, outros yogis não shivaístas, afirmam que não há nada muito especial nestes “poderes místicos”, até porque são de origem puramente material, e o asceta acaba iludido pelos modos da natureza passageira; defendem que Yoga, quer dizer liberação - “moksha” -, através da união com o Supremo, e não dependência dos modos da natureza.
A nomenclatura védica coloca três tipos de conhecimento e modo de vida material: o primeiro, mais primitivo, denomina-se de Tamo-guna, ou modo da inércia, ou da ignorância. O segundo de Rajo-guna, ou modo da paixão e da ação. O terceiro modo da natureza é o Satwo-guna, ou modo da bondade, do equilíbrio. No primeiro modo, tamo-guna, a pessoa pratica austeridades como cortar as próprias partes do corpo, às vezes come-as, bebe sua urina, também come suas próprias fezes, adora fantasmas, faz sacrifícios de animais, e sua associação é com os crematórios, cobrindo-se geralmente com as cinzas que restaram dos mortos queimados no fogo crematório.
Na Índia, é muito comum vermos estes indivíduos rondando os crematórios, alguns com um crânio humano onde bebem líquidos e fazem suas refeições. No modo da paixão, as pessoas tentam realizar-se “espiritualmente”, com a prática sexual, tudo é de tal forma preparada para desenvolver a potência sexual e a permanência o máximo possível em conúbio carnal, ou então se dedicam a esforços sobre-humanos em atividades físicas desgastantes. Muito tântricos da linhagem da chamada “esquerda”, misturam algumas técnicas do modo tamo-guna com rajo-guna com o objetivo de adquirem maior e melhor potência sexual e assim desenvolver o poder para controlar e dominar os outros.
A técnica do Shivambu Kalpa promete isso, de modo que eventualmente alguns yogis da corrente rajo-guna a utilizam. Por último, por estarem convictos que estas peripécias são mundanas, uma vez que se resumem em técnicas de busca pelo controle material, os satwo-gunas, que pretendem desenvolver o modo da bondade, praticam uma técnica de yoga distante das pregações shivaístas.
São praticantes de bhakti-yoga, raja-yoga, e outros métodos que não visam desenvolver senão o amor puro pelo supremo (krishna-prema), abstendo-se de comer carnes, tomar bebidas alcoólicas e realizar sacrifícios, preferindo seguir os ensinamentos de Dhanwantari com relação à saúde, uma encarnação de um avatar celestial como médico, que proferiu Ayurveda original aos rishis (sábios).
No Ayurveda fala-se eventualmente no uso de autos sódios ou de bioterápicos, ou seja, do uso de substâncias do próprio corpo, devidamente diluídas, para o emprego do tipo “homeopático” destas substâncias, que na realidade assemelha-se ao uso de vacinas e de soro. Isso, como sabemos, é prática farmacêutica eficiente, mas devidamente elaborada por processos de purificação dos elementos tóxicos, que saem com a urina, como alguns catabólitos potencialmente deletérios como o ácido úrico e a ureia.
No Madana palanighantu, capítulo paniyadivarga, correspondente às bebidas da farmacopeia ayurvédica, encontramos o verso VIII, 222, que faz referência ao uso da urina humana como um importante agente rejuvenescedor, mas venenoso, devendo ser usada com cuidado e sempre diluída com chás de ervas. O uso externo é indicado para remover parasitas, desde que a urina seja de mulheres – preferencialmente –, ou então de fêmeas de animais, como a do camelo, búfalo, cavalo ou a do elefante, etc., sendo que o urina da búfala é considerada mais eficaz.
As fêmeas são selecionadas de preferência, porque quando ficam grávidas, produzem substâncias que os machos normalmente não excretam na urina (como a gonadotrofina coriônica, por exemplo). Contudo, o uso da urina pura, internamente, sem nenhuma diluição, ou até mesmo sem nenhum controle prévio da dieta, constitui-se num agravante de desequilíbrio dos doshas (energia interna), principalmente por atuar negativamente nos chamados srotas, condutos naturais da energia e dos produtos de secreção do corpo, promovendo doenças e infecções graves.
A matéria médica ayurveda possui um embasamento muito próximo aos que são feitos pelos critérios científicos da atualidade, não sendo incomum sua fórmula milenar estarem atuando até hoje, como o uso da digoxina, por exemplo, no tratamento de doenças cardíacas, logo não há menção sobre o uso da própria urina, com bebida diária, como técnica preventiva de qualquer doença que seja.
O uso da urina de um diabético, que expele muito açúcar por não conseguir metabolizá-lo corretamente, fatalmente será danoso, agravando ainda mais a condição patológica em que se encontra. Uma dieta adequada é a preferência, além do uso de determinados produtos da flora, como ervas, raízes e cascas de árvores, são empregados como coadjuvantes importantes, nunca a própria urina, até porque ela deverá expelir as toxinas mórbidas da condição enfermiça.
Entre tudo, o uso da urina como provedor de diagnóstico é ampla e intensamente utilizado na técnica do Ayurveda. De fato, as origens dos atuais exames de urina utilizadas no Ocidente remontam a antiguidade milenar do Ayurveda, onde a cor, o aroma, a textura, e o modo como a urina se comporta diante de determinadas substâncias, pode diagnosticar e prognosticar todas as moléstias.
Por fim, devemos lembrar que a medicina ayurvédica não se resume numa prática empírica pura, seus conhecimentos não foram resultados de inumeráveis experiências, no método tradicional de tentativa e do erro da empiria sistemática. Mais do que isso, é um sistema revelado, fruto de um trabalho espiritual na compreensão dos sábios no início da era de Kali, mais ou menos 7.000 anos atrás.
Este dado é importante, até porque, na medida em que nos aprofundamos no estudo dos textos médicos originais do Ayurveda, uma parte do Attharva-veda (um dos quatro Vedas originais), ficamos mais e mais estupefatos com os conhecimentos reveladores que ali se encontram, dando precisão milimétrica sobre intervenções cirúrgicas no cérebro, por exemplo, que somente hoje esboçamos a possibilidade de atingir a técnica ali descrita, quando, no entanto, já era praticada na milenar Índia dos mistérios eternos.
Não há medicina mais natural e comedida do que o Ayurveda, apesar de hoje existirem muitos falsos médicos Ayurvédicos que tentam fazer dos seus ensinamentos panaceias universais, quando, no entanto, em nenhuma vez se fala disso nos textos originais, uma vez que o propósito do Ayurveda é ensinar a ciência da saúde e não da doença, mostrando que os princípios naturais da existência são suficientes para equilibrar a saúde e manter a vida longamente, apesar das contingências do sofrimento material. Segundo o Ayurveda, a urina não passa de um produto excretado pelo organismo, importante para diagnosticar a situação energética da pessoa, e seu uso interno é perigoso e tóxico se não for devidamente processado e elaborado com finalidades terapêuticas. Referências Bibliográficas:
Damar Tantrashivambukalpa. THEINDIANVERSION. Part3. HPS USA, 1995. BHAGWANDASH. Vaidya. Matéria Médica Off Ayurveda, basedon Madanapala’s Nighantu. New Delphi, B. JAINPUB, 1991. Texto do Prof. Olavo Desimon.
Literatura Recomendada: (extraída do blog Shivambu Kalpa Vidhi)
. "Damar Tantra".
. "Urinoterapia - O uso da urina com fins terapêuticos", BalKrishna e Sofia Ferreira da Silva (2002).
. "Amaroli", Swami Satyananda Saraswati / Bihar School of Yoga, Munger, Bihar, India (1991; 1ª edicão em 1978).
. "The Water of Life", Armstrong, J.W. / Health Science Press, Saffron Walden, Inglaterra (1990; trabalho original publicado em 1944)
. "The Golden Fountain", Kroon, C.V.D. / Wishland Inc, Scottsdale (1998; trabalho original em holandês em 1993).
. "Conheça outras terapias", Hildegard Bromberg Richter (TAPs), Editora Paulus, São Paulo (1998).
. "Your Own Perfect Medicine", Cristy, M.M. / Wishland Inc. (1994)
Marcadores: ayurvedaurinoterapia

Lúcifer, o projetista

Niom se manifestava através de um universo infinito, com bilhões de dimensões imateriais, onde o elemento de criação era o mais sutil de...